UOL Esporte Campeonato Gaúcho
 
15/01/2010 - 10h22

Equipes do interior buscam façanha para poucos no Campeonato Gaúcho

Daniel Cassol
Em Porto Alegre (RS)

Se conquistar o título do Campeonato Gaúcho é prerrogativa quase só de Internacional e Grêmio, as equipes do interior redobram esforços a cada início de temporada para, pelo menos, dificultar o caminho dos grandes da capital.

  • Divulgação/Vipcomm

    Campeonato Gaúcho é dominado por Internacional e Grêmio, mas os pequenos querem surpreender

  • Divulgação/Vipcomm

    Inter quer evitar retomada de títulos do Grêmio, mas vai começar campanha no Gaúchão sem força total

Uma delas é o Novo Hamburgo, clube da cidade de colonização alemã, que trouxe os reforços mais chamativos para 2010: Rodrigo Mendes, ex-Grêmio, e Michel, ex-Internacional, além de nomes como Kempes, com passagem pelo Caxias e pela Portuguesa, e Gustavo Papa, que já defendeu Inter e Coritiba.

O treinador Leandro Machado, que também já trabalhou no Internacional, pondera que sua equipe não chega como favorita entre os pequenos do Rio Grande do Sul. “Não acho que sejamos a mais forte, mas com o tempo acho que poderemos fazer uma boa competição”, diz.

O clube iniciou a pré-temporada em 10 de dezembro, mas sem o grupo de jogadores formado. Alguns reforços chegaram há poucos dias. Quanto a Rodrigo Mendes, 34 anos, e Michel, 30, o treinador afirma que eles ainda precisam de mais preparo físico. “Todos eles precisam evoluir. Ainda não atingiram o que o atleta precisa para fazer uma competição forte. Precisa acontecer um algo mais para que eles possam desfrutar de sua qualidade técnica no total”, explica.

Contrariando o rótulo de time mais forte do interior, Machado destaca o bom trabalho de seus colegas treinadores e aponta times que vêm realizando a preparação há mais tempo, como o Ypiranga, o Pelotas e o Veranópolis.

Opinião semelhante tem o presidente da Federação Gaúcha de Futebol (FGF), Francisco Noveletto. Ele destaca os bons grupos montados pelo Pelotas, pelo Veranópolis e pelo São José, além do próprio Novo Hamburgo. E não descarta uma surpresa. “Cada vez as equipes do interior estão se preparando melhor, este ano bem mais do que no ano passado”, diz Noveletto, para quem Caxias e Juventude, apesar da crise que enfrentam, tem condições de repetir as boas campanhas dos últimos anos.

O Ypiranga, de Erechim, manteve a base que foi finalista da Copa FGF, disputada no segundo semestre de 2009, perdendo para o Inter B. O Pelotas, do experiente técnico Beto Almeida, vem embalado pelo acesso à primeira divisão conquistado no do centenário do clube. Outro time a ser avaliado é o Porto Alegre, cujo dono é Roberto Assis Moreira, irmão de Ronaldinho Gaúcho. A equipe foi campeã da segunda divisão no ano passado.

Já o Veranópolis, comandado por Gilmar Dal Pozzo, costuma montar boas equipes e foi uma das últimas a cometer um “crime” no Gauchão, eliminando o Internacional nas semifinais em 2007.

Pois é o “crime” que muitas vezes acaba sobrando para as equipes do interior. Desde a década de 50, somente Juventude, em 1998, e Caxias, em 2000, conseguiram chegar ao título. Nos demais anos, restaram apenas algumas aparições interioranas nas finais.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host