UOL Esporte Campeonato Gaúcho
 
06/03/2010 - 08h08

Líder do elenco, Bolívar tenta falar com sumido Walter, mas empresário proíbe conversa

Jeremias Wernek
Em Porto Alegre

Um contato telefônico foi feito de Bolívar, um dos líderes do grupo de jogadores do Internacional, para Walter. No entanto, no celular do atacante quem respondeu foi outra pessoa. A namorada do jogador não foi receptiva a intenção do zagueiro de conversar no apartamento do sumido. Além disso, a mulher indicou que, por orientação de um empresário de Walter, o bate-papo não existiria em tempo algum. O motivo? A tentativa, por parte de Bolívar, de convencer Walter a regressar ao Beira-Rio.

“Isso foi por telefone. Até andei conversando com a namorada dele e no momento ele já havia conversado com o empresário dele. E se não me engano, o empresário estava também no apartamento e de repente não achou legal eu entrar e conversar com ele. Até porque meu discurso seria diferente do dele. Então ele não aceitou”, revelou Bolívar, em entrevista coletiva.

A liderança dentro dos atletas vermelhos se divide nas figuras de Bolívar e Guiñazu. O argentino é quem carrega a braçadeira, porém o zagueiro ocupa o cargo de figura paterna. Cobra e auxilia quando convém. No entanto, as atribuições extras do zagueiro não foram colocadas em prática para com Walter, ausente dos treinamentos há mais de uma semana.

Uma das leituras feitas pelos demais companheiros de Walter, que conhecem bem o jogador, é de que existe uma pressão muito grande sendo feita por outras pessoas, com relação íntima ao atleta. “Não é da cabeça dele, talvez. São pessoas que o acompanham. Torço por ele, tem tudo para ser um grande jogador”, comentou o zagueiro titular do Inter.

Bolívar tem uma história semelhante a de Walter, oriundo do interior, ganhador de rara chance em um clube grande. O discurso proibido pelos procuradores de Walter enaltece as oportunidades recebidas e com saber aproveitá-las. “Eu sei valorizar muito a oportunidade que recebo e trabalho para não decepcionar. Estar em um clube como o Inter, e ter a chance de conviver com um jogadores de muita qualidade, tem que ser aproveitada”, opinou o atleta, integrante do grupo campeão da Libertadores de 2006.

Dentro de campo, Bolívar é a única dúvida do técnico Jorge Fossati para o jogo contra o São Luiz. O zagueiro torceu o joelho esquerdo no coletivo desta sexta-feira à tarde e será reavaliado. Possivelmente, o defensor será poupado para a segunda partida da Libertadores, diante do Deportivo Quito, dia 11, no Equador.
 

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host