UOL Esporte Campeonato Gaúcho
 
24/03/2010 - 09h12

Fossati revela maior pressão de sua carreira e se diz surpreso e triste

Jeremias Wernek
Em Porto Alegre

O currículo de Jorge Fossati não é pequeno, tão pouco carece de passagens por grandes clubes. No entanto, o treinador uruguaio confirmou estar sofrendo no Inter uma pressão de tamanho inédito na sua carreira. Tantas cobranças deixam o profissional surpreso e, ao mesmo tempo, triste. Até mesmo os números, quase 74% de aproveitamento, não ajudam o técnico a suplantar as contestações vindas da arquibancada.

LDU, Peñarol, Cerro Porteño, seleção uruguaia e futebol árabe. Além de uma carreira longa como jogador. Nada disso preparou Jorge Fossati para a exigência encontrada no Rio Grande do Sul, onde vive desde janeiro. As cobranças de rendimento quanto ao time do Inter surpreenderam o comandante, que revelou o fato em reunião com a direção e externou tudo nesta terça-feira. “Estou surpreso demais, porque nunca tinha visto tanta cobrança. Tenho escutado cobranças mesmo ganhando”, desabafou. “Já estou acostumado a clubes grandes, trabalhei no Brasil como jogador, poderia ter essa experiência. Mas não é só para o treinador. É em termos gerais”, completou Fossati.

Juntamente com a admiração por tais contestações, o técnico revelou tristeza. Sentimento alimentado pela reprovação dos torcedores. “O que gera em mim é surpresa e tristeza, porque a gente faz todo o esforço para as coisas saírem bem, e o objetivo é fazer o torcedor feliz. Se a gente sente isso, sente a reprovação do torcedor, fica primeiro triste. Não estou revoltado, esperando vingança. Fico triste, porque não estamos conseguindo deixar o torcedor feliz”, colocou.

Para mudar o quadro, na opinião do gringo, só há um caminho. “Minha reação é trabalhar mais ainda para mudar essa situação e passar dessa cobrança a bater palmas, especialmente para o time, para os jogadores”, garantiu. “Na hora das palmas, não preciso ficar por perto”, finalizou o ex-goleiro do Avaí e Coritiba.

A última vitória do Inter aconteceu em Ijuí, 1 a 0 diante do São Luiz. Depois o time empatou no Equador com o Deportivo Quito, pela Libertadores; logo após, outro empate, com o Veranópolis, na Serra. Por fim, dois pontos em seis disputados, diante do Cerro, em Rivera, e do Pelotas, em pleno Beira-Rio.

Os próximos três compromissos tem caráter decisivo. Pelo Gauchão, confronto direto com o São José, nesta quarta, e o Caxias, no final de semana. Ambos adversários na luta pela liderança da chave 2. No dia 31, porém, é a vez de entrar em campo pela Libertadores, contra o Cerro, no Beira-Rio. Os uruguaios são lideres do grupo 5, com dois pontos a mais que o clube gaúcho. Uma vitória encaminha a classificação do Inter.
 

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host