UOL Esporte Campeonato Gaúcho
 
25/03/2010 - 21h31

Em crise, Inter deixa Gauchão de lado e preserva titulares para Libertadores

Jeremias Wernek
Em Porto Alegre

A medida mais sensível, a olho nu, da direção do Internacional para mudar o ambiente no Beira-Rio é priorizar a Libertadores da América de forma deliberada. Em contra-partida, o Campeonato Gaúcho perde espaço na hierarquia de importância do clube. Tanto que no domingo, contra o Caxias, nomes como Abbondanzieri, Kleber, Guiñazu e até mesmo D’Alessandro serão poupados para o compromisso diante do Cerro, na próxima quarta.

“Para enfrentar o Caxias, não vamos mudar o planejamento, priorizando a Libertadores”, disse o vice de futebol, Fernando Carvalho, único a se manifestar depois da goleada de 3 a 0 do São José que culminou com cinco jogos sem vitórias do time de Jorge Fossati. Com isso, alguns reservas receberão oportunidade.

Andrezinho tem presença garantida no meio-campo. Outro que deve começar no estádio Centenário é Thiago Humberto, que vem treinando muito bem, exatamente no lugar de Giuliano, de rendimento muito baixo ultimamente. Juan, Eltinho, Glaydson e Walter completam a lista dos titulares para o compromisso com o clube da Serra.

INTERNACIONAL NO TWITTER

Sendo assim, jogadores importantes terão descanso físico e, principalmente, estarão blindados de críticas por seus desempenhos. A partir de agora o Inter abre o jogo e confirma que a Libertadores interessa, mais que qualquer outra coisa. É a competição continental que segurou o treinador no cargo depois de vergonhosa derrota para o São José. Diante do Cerro, no estádio Beira-Rio, o time de Fossati terá força máxima com intenção assumir a liderança do grupo 5 do torneio, estando perto do avanço para às oitavas de final.

Pouco tempo para levantar a cabeça

Jorge Fossati tem apenas mais dois treinamentos para sacudir o grupo de jogadores e levar a campo onze titulares com, no mínimo, animo normalizado. O primeiro trabalho é nesta sexta, à tarde. O segundo, antes da viagem para Caxias, no sábado pela manhã.

Porém, todo esforço dos atletas será em vão se o comandante estiver abatido. O visual de tristeza, estampado do rosto de Fossati ao chegar no estádio, na reapresentação, não é sinônimo de inconformidade. “A tristeza não significa que ele (Jorge Fossati) não tem animo. Tem muito, internamente já passamos por isso e há medidas que tomamos”, destacou Carvalho.

Na movimentação com reservas e integrantes do time B, na tarde de quinta, Fossati escalou um time no 3-6-1. Resta saber que o técnico, que balança demais no cargo, vai mudar – de novo, o esquema tático.
 

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host