UOL Esporte Campeonato Gaúcho
 
28/03/2010 - 19h27

Fossati diz que 'fantasma da confiança' atrapalha Inter na hora de marcar gols

Do UOL Esporte
Em Caxias do Sul

Depois de um novo jogo ruim, com resultado negativo no marcador, Jorge Fossati manteve sua postura tranquila e correta. Procurando explicações para o inexplicável, o uruguaio citou nervosismo, ansiedade e ‘fantasmas’ para apontar os erros na hora de concluir ao gol adversário. Contra o Caxias, na derrota de 2 a 0, foram – no mínimo, dois lances em que os zagueiros tiraram em cima da linha o gol vermelho.

“Estamos com um nervosismo e fantasmas que não fazem bem”, comentou Fossati, em entrevista coletiva depois da sexta partida sem vitória do Inter. “Estávamos trabalhando bem o jogo. O Inter estava jogando dentro da ideia, explorando posições do campo até a hora da definição”, completou. Os ‘fantasmas’ colocados pelo treinador, são fatores como o nervosismo e ausência de confiança. Sentimento de sobra do lado do Caxias. “Quando se tem confiança, se chuta”, citou, ao falar do gol convertido por Edu Silva, batendo de primeira, no ângulo de Abbondanzieri.

“Depois do intervalo saímos com tranquilidade, ordem e bom jogo. Infelizmente, o que poderia ter sido mais de uma vez o empate, deu um gol de placa. Aí deixa bem claro a diferença que estou falando. Se um jogador nosso pega essa bola (depois do escanteio da direita), como o adversário, vai procurar controlar e cruzar, pela fase (de pressão e cobrança)”, disse.

Na segunda etapa, Thiago Humberto teve chance clara para diminuir o marcador. O meia limpou dois adversários, incluindo o goleiro, e bateu. Anderson Bill, dentro do gol, tirou com a perna direita. “A diferença que estou vendo, nos últimos jogos, é de confiança, tranquilidade. Foi claro que não tivemos situações melhores que o adversário. Mas tivemos a bola quicando na frente e, por caprichar, a bola não entra”, finalizou.

O capitão Guiñazu seguiu nesta linha e chegou a revelar um sentimento peculiar com os casos. "Quando você chuta três vezes e os caras tiram na linha dá um pouco de raiva", comentou o argentino.

Mantido no cargo, Jorge Fossati tem uma missão dura em pouco tempo: reanimar e tranquilizar os jogadores para o confronto com o Cerro, de Montevidéu, líder do grupo 5, com dois pontos a mais. Em caso de novo insucesso, mesmo o empate, a diretoria não terá mais como segurar o treinador.
 

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host