UOL Esporte Campeonato Gaúcho
 
05/04/2010 - 07h00

Antes questionado, Silas conquista dirigentes e torcedores do Grêmio

Marinho Saldanha
Em Porto Alegre
  • Mais do que seus comandados, Silas conquista dirigentes e torcedores por resultados do Grêmio

    Mais do que seus comandados, Silas conquista dirigentes e torcedores por resultados do Grêmio

Em 6 de dezembro era anunciado o técnico do Grêmio para a temporada 2010: Silas Pereira. Inicialmente, houve restrições por parte do torcedor, por se tratar de um treinador com pouca experiência no futebol brasileiro. Porém, Silas chegou com o crédito de ter atingido a sexta posição com o Avaí no campeonato nacional de 2009. Com um time de pouca expressão, o trabalho foi considerado acima do esperado. A direção gremista apostou e, ao que tudo indica, acertou. Mesmo nos momentos de pressão, de rendimento abaixo do esperado, o Grêmio se manteve vencendo. Atualmente, ostenta todos os critérios técnicos positivos do Estadual, o melhor aproveitamento de todo o Brasil e recordes quebrados a oportunidade. Com seu estilo "atleta" Silas conquistou o grupo de jogadores, na posição de "paizão" quando necessário, cobrando conduta fora de campo em outros momentos, elogiando e criticando jogadores, sempre coerente e solícito. Assim, o comandante de campo tem todo o aval da direção e já conquista a exigente torcida gremista.

Estilo Silas - trabalho

Temos que chorar hoje para sorrir amanhã

Não é novidade ouvir de jogadores e até de dirigentes as frases preferidas do treinador. Bordões para explicar questões simples do futebol e da rotina de atleta. "Time conquista vitórias, grupo conquista títulos", estas palavras foram proferidas pelo treinador em uma de suas entrevistas coletivas, repetidas por Victor na última sexta-feira e por Alberto Guerra, assessor de futebol, depois do jogo contra o Juventude.

Este não é o único "mandamento" que tomou conta do Olímpico. "Sem chorar agora não tem como sorrir depois", "Não é momento de shopping center" e "Devemos apertar parafusos" são outros tópicos repetidos excessivamente em entrevistas.

Estilo Silas - competição

Dentro de campo é cada um com seu canivete entre os dentes

Quando necessário, o técnico assume a paternidade de alguns jogadores. Foi assim com Mário Fernandes, para o quem o treinador indicou publicamente tomar café da manhã se pretendesse ser zagueiro. "Quero cuidar dele, mas de todos os garotos também. Eu quero que eles cheguem o mais longe que possam chegar, primeiro como pessoa, depois como atleta. Assim, a chance deles não se perderem ali na frente aumenta e minha missão estará cumprida. Eu quero ajudar, ainda que depois me chamem de chato", disse após o ocorrido. Curiosamente ou não, Mário está rendendo muito bem, bem como Fernando, Bergson, Mithyuê, Saimon, Neuton e todos os garotos do elenco.

Estilo Silas - grupo

Um time forte ganha a partida, um grupo forte conquista o título

Neste aspecto, Silas usa exemplos de situações corriqueiras do futebol. Foi assim quando chamou Raí, seu ex-companheiro no São Paulo, para participar de uma preleção com os jogadores. Da mesma forma, Juninho Paulista e Telê Santana também foram exemplos.

Quando o assunto é comparação, o treinador gremista não foge das perguntas. Estilos, não jogadores, assim o próprio define quando fala em seus atletas. Fernando já foi comparado a Ramires, Mineiro e Hernanes, por exemplo.

Estilo Silas - soberba

Este tipo de vaidade, de pensar que sou eu que estou fazendo ou defendendo, este tipo de frescurinha não pode entrar no grupo

O contato com a imprensa mantém altos e baixos. Verdadeiro, o treinador não se furta de responder, mas nem sempre elogia. "Aqui vai uma crítica que faço à imprensa daqui", iniciou a resposta sobre a qualidade do Gauchão. "Quem passar pelo futebol gaúcho está pronto para assumir a seleção brasileira, porque vocês (imprensa), são pesados, batem forte", colocou em outro momento. Mesmo assim, nunca houve falta de educação, palavras ríspidas ou perguntas evitadas em entrevistas. Da mesma forma, Silas abre parte de praticamente todos os treinamentos, ao contrário de outros treinadores, ele afirma entender o trabalho da imprensa e libera a realização de imagens.

Estilo Silas - jovens

Eu quero que eles cheguem o mais longe que possam chegar, primeiro como pessoa, depois como atleta. Assim, a chance deles não se perderem ali na frente aumenta e minha missão estará cumprida. Eu quero ajudar, ainda que depois me chamem de chato

Com os atletas, o técnico faz o estilo "colega". Com 44 anos, Silas corre junto, fala a língua do jogador e participa de treinamentos. "Se ele, com 44 anos, está fazendo, como eu não vou fazer?" supõe ele, que pensem seus comandados. Com a qualidade de um ex-jogador de seleção brasileira, cruzamentos e lançamentos em trabalhos técnicos são feitos pelo próprio e com perfeição de fazer inveja a muito profissional.

Na hora de defender seus pupilos, o técnico o faz com unhas e dentes. Foi assim com Ferdinando, quando vaiado, Fábio Rochemback, da mesma forma, Hugo, quando acusado de indolência e William pela falta de qualidade.

O GRÊMIO NO TWITTER

Se algum porém pode ser colocado no início do trabalho do treinador gremista é a falta de adversários de qualidade para comprovar o bom momento. Até agora, somente 1 adversário em mesmo nível do Grêmio foi enfrentado, o Internacional. Neste jogo, a única derrota do ano, 1 a 0, em Erechim. Portanto, quando realmente teve um oponente a altura, o time tricolor perdeu.

Mais do que os resultados, o conjunto do trabalho conquistou dirigentes e a torcida segue o mesmo caminho. "Felipão já foi vaiado, Mano Menezes também, o Silas tem nosso apoio", chegou a comentar Luiz Onofre Meira em um momento difícil. "Sempre tivemos convicção no trabalho do Silas. Mesmo quando houve pressão sobre o nome dele. Na intimidade ele é extremamente acessível, aceita nossas ideias, dialoga, estamos plenamente satisfeitos" referiu Alberto Guerra, membro do departamento de futebol. "Falta só vencer um Gre-Nal", faz a ressalva.

A chance para realizar essa última exigência pode ocorrer somente na Final da Taça Fábio Koff. Com o Inter passando em terceiro no grupo 2 e o Grêmio líder do 1, as duas maiores forças do Rio Grande do Sul só podem decidir o returno do certame estadual. Neste suposto confronto, além de derrotar o rival, Silas pode levar o Grêmio a um título após 4 anos de jejum.
 

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host