Topo

Esporte


Internacional inaugura novo museu, que terá participação do torcedor

Daniel Cassol

Em Porto Alegre

06/04/2010 21h36

Com uma festa para mais de mil convidados, o Internacional inaugurou oficialmente nesta terça um novo museu para contar os 101 anos de história do clube, completados no último domingo. Interativo, o Museu do Inter conta com objetos históricos do clube, troféus, imagens, sons e informações sobre todos os jogadores que já atuaram no Beira-Rio.

NOVO MUSEU DO INTERNACIONAL

  • Lucas Uebel/Vipcomm
  • Daniel Cassol/UOL Esporte

    Com 800m², Museu do Inter traz história, interação com o torcedor e até uma flâmula do rival Grêmio

“Não é nem um museu apenas de objetos, nem um museu somente interativo. A história do Internacional será contada com materiais e interação”, explica o curador do Museu do Inter, Nico Machado.

Ao todo, são cerca de 800 metros quadrados de área de visitação no estádio Beira-Rio. Gratuito para sócios do clube, o Museu do Inter é dividido em onze módulos, desde a exposição dos troféus conquistados pelo clube até espaços para interação com tecnologias.

O visitante poderá escolher entre acessar os dados dos mais de quatro mil jogadores que já passaram pelo Inter, assistir a documentários e partidas ou simular a comemoração de um gol nas arquibancadas do Beira-Rio. “O museu é interativo também porque vai reagir à participação do torcedor”, explica Machado. Os colorados poderão gravar depoimentos em áudios, que são reproduzidos no “túnel da memória”, bem como emprestar coleções pessoais para exposição na área destinada ao torcedor.

Ídolos do passado, Figueroa, Manga, Tesourinha e Carlitos foram homenageados com esculturas. O Museu do Inter também expõe pertences de jogadores antigos, como Bodinho, e torcedores históricos como Vicente Rao, personagem símbolo do Inter nos anos 40.

Com 25 funcionários trabalhando na recuperação e digitalização do acervo do clube, o Museu do Inter aumentará a exposição de materiais nos próximos meses. Segundo o curador Nico Machado, a exposição será atualizada periodicamente, de acordo com a chegada de materiais.

De acordo com o presidente do Inter, Vitório Piffero, o investimento para a construção do museu foi de R$ 4 milhões. Como terá acesso gratuito para sócios, não existe expectativa de que o Museu do Inter gere receitas para o clube. “Não era esse nosso objetivo. Tínhamos um museu muito acanhado e devíamos à torcida algo do tamanho da história do Inter”, exalta Piffero.

INTERNACIONAL NO TWITTER

Piffero também considera a inauguração do museu como um pontapé inicial para a reforma do Beira-Rio, com vistas à Copa do Mundo. Ainda no aguardo da isenção de impostos para as obras, Piffero não considera atrasada a reforma do Beira-Rio. “Estamos na frente de todos os outros estádios brasileiros. Já existem obras internas em andamento”, destaca. Na frente do museu, já foram colocados pilares que servirão de estrutura para a cobertura do futuro estádio colorado.

O Museu do Inter, que leva o nome oficial de Ruy Tedesco, engenheiro responsável pela conclusão do Beira-Rio há 41 anos, será aberto aos sócios e terá um preço ainda não divulgado para não-sócios do clube. O espaço estará aberto ao público a partir desta sexta, com horário de visitação das 10h às 18h, de terça a domingo, com horário especial em dias de jogos.

Mais Esporte