Organizada do Grêmio tem punição ampliada após briga na Arena

Do UOL, em Porto Alegre

  • Divulgação/MP-RS

    Torcedores do Grêmio brigam antes de jogo na Arena contra o Novo Hamburgo

    Torcedores do Grêmio brigam antes de jogo na Arena contra o Novo Hamburgo

A torcida organizada Geral do Grêmio já estava punida e impossibilitada de usar seus instrumentos e faixas em jogos do time. E a pena foi ampliada em mais 90 dias. Tudo por força de uma briga ocorrida no pátio da Arena antes do jogo contra o Novo Hamburgo, pelo Gauchão, no domingo. 

Dois dos líderes da organizada, Bruno Pisoni e Leandro Telles Carvalho, foram detidos e encaminhados ao Juizado Especial Criminal (Jecrim). Estes não poderão frequentar praças esportivas por tempo indeterminado. 

"Conforme imagens do circuito de monitoramento do estádio, membros da Geral, incitada pelos dois líderes identificados, iniciaram uma briga com outros torcedores. Os dois foram detidos pela Brigada Militar já dentro do estádio e levados até o Juizado Especializado do Torcedor", diz nota publicada pelo site oficial do Ministério Público do Rio Grande do Sul. 

Um grupo de torcedores da Geral entrou em confronto com outros aficionados antes do duelo pela quinta rodada do Gauchão. O ataque teria sido arquitetado. A punição que já estava em vigor era reflexo da depredação dos ônibus usados no deslocamento para o Beira-Rio para o último clássico Gre-Nal do ano passado. 

A Geral do Grêmio passava por um processo de tentativa de melhorar a imagem da torcida. Com ações sociais e sem confusões, a organizada tentava uma nova situação junto aos demais torcedores. Porém, a briga ocorrida no final de semana abala a ação que já vinha do ano passado. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos