Após jogar com C. Ronaldo, Tevez e Neymar, volante recomeça no Gaúcho

Adriano Wilkson

Do UOL, em São Paulo

  • Alex Livesey/Getty Images

    Rodrigo Possebon disputa bola com Cristiano Ronaldo em treino do Manchester em 2008

    Rodrigo Possebon disputa bola com Cristiano Ronaldo em treino do Manchester em 2008

Depois de ser contratado pelo Manchester United por um valor milionário, dividir vestiário com Cristiano Ronaldo, Wayne Rooney e Carlitos Tevez, substituir o ídolo galês Ryan Giggs e ser campeão da Libertadores ao lado de Paulo Henrique Ganso e Neymar, o volante Rodrigo Possebon, de 27 anos, se prepara para defender o Passo Fundo, que jogará o Campeonato Gaúcho.

"Minha carreira não tem que ser retomada, ela está seguindo normalmente", disse o jogador ao UOL Esporte, entre várias entrevistas a outros veículos na tarde da última quarta-feira, um pouco antes de treinar com seu novo time. "O Passo Fundo tem todas as condições de fazer um ótimo Gaúchão, é um clube que quer mudar de patamar, ter um calendário o ano inteiro."

Natural de Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre, Possebon revelou-se no Internacional e logo aos 17 anos foi vendido para o Manchester como uma grande promessa. Seguia os passos dos irmãos e laterais Rafael e Fábio e do também volante Anderson, brasileiros que buscavam seu espaço no gigante inglês.

Em uma entrevista à revista Placar na época, Cristiano Ronaldo, recém-eleito melhor jogador do mundo, disse que os brasileiros da equipe eram atletas "espetaculares". Mas, adolescente, Possebon não conseguiu se firmar. Em sua estreia, substituiu logo o ídolo do time Ryan Giggs. Foram menos de dez partidas pelo Manchester.

Reprodução

O gaúcho classifica seus antigos colegas, estrelas do futebol mundial, como "um pessoal muito simples, fácil de conviver". "Era uma relação boa que eu tinha com eles, uma relação de colega de trabalho. Eles tinham muita experiência com jogadores de fora, tratavam todos muito bem."

"Foi uma experiência muito boa", disse o volante. "Não só futebolisticamente, mas de vida mesmo. Um ambiente novo, cultura diferente... O Manchester me deu toda a condição de me adaptar, todo o amparo, foi tranquilo. Tive muita coisa pra observar, a gente amadurece. Tudo é bem diferente. Fora e dentro de campo, o clima, o jeito de jogar, o Campeonato Inglês, a Champions [League]..."

Com Neymar e Ganso, foi campeão da Libertadores

Sem conseguir se firmar no grupo principal do Manchester, Possebon foi emprestado ao Braga, de Portugal, onde também não conseguiu mostrar futebol, até ser vendido ao Santos. No litoral paulista, viu a ascensão da dupla Neymar e Ganso, e sob o comando de Muricy Ramalho chegou a ser campeão paulista, da Copa do Brasil e da Libertadores.

"O nosso grupo era muito bom e tinha um ambiente tranquilo", lembra o volante sobre os tempos de Santos. "Cada jogador com sua característica, os mais jovens com os mais experientes, e nesse mix aí, conseguimos os títulos."

Santos F.C (Divulgação)

Apesar de estar no grupo, Possebon não era um dos preferidos de Muricy e acabou ficando fora do Mundial de Clubes. Em 2012, acabou tendo o contrato rescindido. Com cidadania italiana, passou pelo Vicenza, um pequeno clube do país, e depois pelo Criciúma, Mirassol, Juventude e Náutico. Deu uma volta pelo mundo árabe e pelo interior de Minas, sem grande destaque.

Ele elogia Passo Fundo e cita a cidade, considerada a mais importante do norte gaúcho, como um dos motivos que o fizeram a topar o desafio. "É uma cidade muito boa, desenvolvida, e o clube está fazendo uma campanha de sócio-torcedor muito interessante, tem tudo pra crescer."

A equipe vai estrear no Gaúcho no dia 29 de janeiro, contra o São Paulo-RS.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos