Zago vê Inter diferente do ano passado, mas quer reforços para o ataque

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Divulgação SCI

    Antônio Carlos Zago vê evolução no time do Inter após sua estreia

    Antônio Carlos Zago vê evolução no time do Inter após sua estreia

Antonio Carlos Zago elogiou a atuação do Inter na estreia pelo Gauchão, neste domingo (29), diante do Veranópolis. Segundo ele, a conduta do time já foi diferente do ano passado, em que o Colorado acabou rebaixado no Brasileirão. Porém, ainda é evidente a necessidade de reforços para o ataque. 

"Erramos um pouco na saída de bola, eles (Veranópolis) chegaram algumas vezes no nosso gol em cima de erros no meio-campo. Criamos duas oportunidades, com Diego, outra no escanteio. No segundo tempo corrigimos algumas coisas que tínhamos que corrigir, não erramos tantos passes e tivemos o controle do jogo, criamos mais oportunidades de gol. Eles chutaram uma vez, apenas, em uma jogada ensaiada de escanteio, e o gol.  (No gol)Deveríamos ter matado a jogada antes, acabamos errando o posicionamento, e houve o empate. Mas a postura dos jogadores em campo, o empenho, foi totalmente diferente dos amistosos contra o Inter de Lages e o Tubarão", disse o treinador. 
 
Segundo Antonio Carlos Zago, a principal alteração será na conduta da saída de bola. Os zagueiros precisam trocar passes curtos, procurar a melhor jogada. Ex-jogador deste setor, ele se usa como exemplo aos atletas. 
 
"São com os zagueiros que começamos as jogadas. Não quero que todos façam o que eu fazia (quando jogador), mas tem que tentar. Virar a bola, começar a jogada. São 15 dias de trabalho mas deu para ver que o grupo tem qualidade. Os zagueiros saindo, um volante ficando por trás, estamos trabalhando, esperamos que dê certo. A construção começa nos zagueiros, a marcação começa nos atacantes. Temos procurado marcar e já deu para ver o Inter diferente do ano passado", explicou. 
 
Ainda que esteja contente com o rendimento de sua equipe, Zago não esconde o desejo de contar com novos atletas no setor ofensivo. 
 
"Já foi conversado com a diretoria. Mas é difícil neste momento você fazer alguma negociação. Estamos encontrando dificuldades. Mas a questão de negociações e a chegada de dois ou três jogadores de ataque no máximo, que joguem pela beirada, é o que estamos procurando, mas até agora não encaixou nenhuma contratação. Fizemos uma boa apresentação, tinha a ansiedade da estreia, o ano passado, e tivemos uma atitude diferente, personalidade que é o mais importante neste momento", disse. 
 
O Colorado atua em duas frentes. Espera que Marcelo Cirino consiga sua liberação do Atlético-PR e também tenta contratar Carlos, do Atlético-MG. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos