Inter decepciona, sofre no contra-ataque e perde para Novo Hamburgo em casa

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Inter

    Diego, do Inter, tenta se livrar da marcação do Novo Hamburgo em duelo no Gauchão

    Diego, do Inter, tenta se livrar da marcação do Novo Hamburgo em duelo no Gauchão

A torcida estava ansiosa por ver o Inter de volta ao Beira-Rio com D'Alessandro. Mas o jogo deste sábado (04) passou longe das pretensões vermelhas. Em outra atuação aquém do esperado e sofrendo com contra-ataques, o Colorado levou 2 a 1 do Novo Hamburgo. 

Um time com muita posse de bola, mas sem qualquer objetividade. Foi este o Inter principalmente no primeiro tempo. Com mais de 60% do tempo de jogo com a bola nos pés, o Colorado deixou o campo perdendo por 2 a 0. Tudo reflexo de uma movimentação que já mostrou-se insuficiente no jogo de estreia, diante do Veranópolis. 
 
Com o meio-campo em linha e carente da participação ofensiva dos volantes Rodrigo Dourado e Fernando Bob, o Colorado mal chegou ao gol adversário. Chutou, nos primeiros 45 minutos, apenas uma vez em gol. E, sem alternativas, acabou perdendo a bola com as linhas adiantadas. 
 
Foi assim no primeiro gol. D'Alessandro perdeu no ataque, o Nóia saiu rápido e Preto fez. No segundo, escanteio para o Inter, nova saída rápida, e novo gol do adversário. E mesmo tentando melhorar na etapa final, e mesmo com gol de Nico López, nada mudou.  
 
Com 1 ponto, o Inter ronda as últimas colocações do Estadual. O Novo Hamburgo, com 6, é líder. Na próxima rodada o Inter encara o Caxias, já o Novo Hamburgo terá pela frente o São José. 
 

Nico López faz outro gol e cava lugar no time

Em uma tarde de pouco futebol, o Internacional teve em Nico López sua melhor notícia. O uruguaio foi, novamente, importante ao marcar outro gol. Aos poucos, se consolida como titular do time. 

Fernando Bob decepciona e sai vaiado

Fernando Bob foi eleito como símbolo de um primeiro tempo desastroso. O marcador já não tinha ido bem na estreia do Colorado no Gauchão. Neste sábado uniu aos erros de passe frequentes, muitas faltas e pouco auxílio na saída de bola. Saiu no intervalo, vaiado pela torcida. 

Ricardo Duarte/Inter

D'Ale entre falhas e tentativas

De volta ao Beira-Rio 374 dias depois, D'Alessandro não teve o retorno que esperava. Foi ele quem perdeu a bola que resultou no primeiro gol do Novo Hamburgo. Partiu dos pés dele a cobrança de escanteio que acabou no segundo gol dos visitantes. Mas ao mesmo tempo foi o responsável pelas poucas vezes que o time vermelho chegou conscientemente ao ataque. Tentou um gol na etapa inicial, deu bons dribles e passou longe de ser destaque negativo do jogo. 

Inter repete estratégia que o deixou 'amarrado' na estreia

O Inter empatou e foi mal na estreia diante do Veranópolis. Não criou nada no primeiro tempo, principalmente. E não optou por repetir tal conduta. Fernando Bob, incapaz de realizar ações ofensivas, prejudicou o andamento do meio-campo, formado em linha. D'Alessandro, isolado na direita, pouco conseguiu contribuir. Diego, do lado oposto, não foi acionado. Roberson não se movimentou em velocidade e Nico López ao menos tentou. 
 
Ricardo Duarte/Internacional
 

Uma conclusão a gol, 2 a 0 contra

O Internacional foi muito mal e sofreu. No primeiro tempo, criou praticamente nada. Teve a posse de bola, é verdade, mas sem qualquer ação mais proveitosa. Deu apenas um chute a gol, com D'Alessandro, aos 10 minutos da etapa inicial. E pressionado pela necessidade de atacar, adiantou suas linhas e deu muito espaço. Tanto que em uma bola perdida por D'Ale, o primeiro gol saiu aos 41 minutos. Em contra-ataque. E dois minutos mais tarde, um escanteio para o Colorado acabou em outro gol dos visitantes. Uma saída rápida acabou com a bola nas redes. 
 

Inter muda e cresce no segundo tempo

 
Na etapa final, o técnico Antonio Carlos Zago abriu mão do meio-campo em linha. Formou um quadrado, aproximando Andrigo, que substituiu Diego, e D'Alessandro. Deu certo. Uendel, melhor auxiliado, virou principal arma ofensiva da equipe. Por pouco não marcou um gol aos 9 minutos e aos 26 cruzou para Nico López marcar. Junio, que entrou na vaga de Ceará, também conseguiu escapar bem pelo lado oposto e deu bons cruzamentos. 
 

Calor influencia movimentação

O calor foi fator preponderante na partida entre Internacional e Novo Hamburgo. Com a sensação térmica beirando os 38 graus no Beira-Rio, o árbitro Anderson Farias parou o jogo durante o primeiro tempo para hidratação dos jogadores. E enquanto a bola esteve rolando, a condição climática tornou a partida mais lenta do que seria em um dia menos quente. ]]
 
FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 1 X 2 NOVO HAMBURGO
 
Data: 04/02/2017 (quarta-feira)
Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Anderson Farias
Auxiliares: Alexandre Kleiniche e Mateus Oliveirio Rocha
Renda: R$ 264.380,00
Público: 11.052 (total)
Cartões amarelos:  Léo (NH), Jardel (NH); Fernando Bob (INT), Ernando (INT), D'Alessandro (INT); 
Gols: Preto, do Novo Hamburgo, aos 41 minutos do primeiro tempo; Jardel, do Novo Hamburgo, aos 43 minutos do primeiro tempo; Nico López, do Inter, aos 26 minutos do segundo tempo; 
 
INTERNACIONAL
Danilo Fernandes; Ceará (Junio), Ernando, Klaus e Uendel; Rodrigo Dourado, Fernando Bob (Charles), D'Alessandro e Diego (Andrigo); Roberson e Nico López. 
Técnico: Antonio Carlos Zago 
NOVO HAMBURGO
Mateus; Léo, Júlio Santos, Pablo (Léo Carioca) e Assis; Amaral, Jardel, Preto (Danilo Goiano), Juninho e Branquinho (Lucas Santos); João Paulo.
Técnico: Beto Campos
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos