A polêmica da última rodada: Inter e TJD divergem sobre jogo no Beira-Rio

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Inter

    Onde vai ser o jogo final? Inter e Tribunal não dão discursos semelhantes sobre partida

    Onde vai ser o jogo final? Inter e Tribunal não dão discursos semelhantes sobre partida

No fim da tarde de sábado, o Internacional informou que a última partida da primeira fase do Gauchão seria disputada no Beira-Rio, independente da perda de mandos de campo julgada pelo TJD-RS em razão da briga de torcedores na primeira rodada do campeonato. Está seguro disso, tanto que começou a vender entradas para a partida diante do Cruzeiro-RS, quarta-feira. Mas o Tribunal não está tão certo assim e criou-se uma polêmica que irá durar ao menos até o começo da semana. 

O Colorado está seguro da realização do jogo. Segundo o vice jurídico do clube, Gustavo Juchen, o Inter entrou com embargos da decisão e isso suspende o prazo para tentar a reversão da pena no STJD. Com a proximidade do jogo, resolveu começar a venda de ingressos. 
 
"Entendemos que era o correto a fazer. Não passa pela nossa cabeça contrariar a Federação ou o Tribunal. Mas não tivemos qualquer determinação contrária a isso", disse à Rádio Grenal. "O jogo já estava marcado para o Beira-Rio, não pelo Inter, mas pela Federação. O Inter entrou com este recurso e cabe ao clube indicar onde irá cumprir a punição, onde irá jogar. O Inter informou que não fará isso até a decisão do Tribunal. E como há o prazo para venda de ingressos e a logística da partida, o Inter está cumprindo este prazo com a venda de ingressos", completou. 
 

TJD faz ameaças

Enquanto isso, o TJD-RS entende que o Internacional não poderá jogar em casa. Como foi punido com a perda de dois mandos de campo, o Colorado estaria impossibilitado de mandar a partida da próxima quarta-feira no Beira-Rio. 
 
"O Inter foi mantido com a perda de dois mandos de campo no recurso da procuradoria. Que eu saiba não recorreu e teria que ser feito ao STJD. Não é automático. Não sei, acho meio temerário mandarem o jogo na própria casa. Não deveriam. Mas se querem fazer, façam. Vai acarretar uma punição, um descumprimento de uma ordem judicial", disse o presidente do TJD-RS, Carlos Schneider, à Rádio Grenal. "Entraram com embargos declaratórios, foi para o relator, que já esclareceu e devolveu a decisão. Não tenho o teor aqui, mas não houve modificação alguma na pena", completou. 
 
Até segunda-feira uma decisão tem que ser determinada. O presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Novelletto Neto, pretende conversar com as duas partes, Inter e Tribunal, para encontrar uma forma de resolver o caso. 
 
Por enquanto, segundo o Internacional a partida está marcada para o Beira-Rio. Já a entidade que controla as regras do campeonato pensa diferente. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos