Velho problema: defesa do Inter piora estatística de time rebaixado

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Inter

    Victor Cuesta disputa bola em partida do Inter contra o Cruzeiro-RS, no Gauchão

    Victor Cuesta disputa bola em partida do Inter contra o Cruzeiro-RS, no Gauchão

Nada é tão ruim que não possa ficar pior. Essa frase, um dito popular de autor desconhecido, pode muito bem ser aplicada ao setor defensivo do Inter. Depois de cair para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro no ano passado, a zaga piorou sua média de gols sofridos em um torneio bem mais fraco: o Campeonato Gaúcho. 

O setor defensivo formado por William, Paulão, Ernando e Geferson, Arthur, Ceará ou até Alex que defendiam o gol de Danilo Fernandes em 2016 terminou o Brasileiro com uma média de gols sofridos aceitável. Foi a sétima melhor do torneio que tinha 20 disputantes. Levou 41 gols em 38 partidas, média de 1,07 por jogo. 
 
Mesmo assim o Colorado acabou rebaixado para a segunda divisão nacional. E no início deste ano, a torcida elegeu a dupla de defensores como vilã na queda. Ernando e Paulão foram motivo até de pichações no entorno do Centro de Treinamentos Parque Gigante. Constantemente vaiados, eles lutam para seguir atuando pelo time. 
 
O ano mudou, mas o problema segue o mesmo. Ou melhor, aumentou. O quarteto atual - William, Paulão (ou Léo Ortiz), Victor Cuesta, que chegou recentemente, e Carlinhos (e agora Uendel) - mostrou dificuldade ao proteger o mesmo goleiro no Gauchão. Levou 14 gols em 11 partidas, média de 1,27 por jogo e terminou a primeira fase do torneio como quinta pior entre os 12 que disputaram. 
 
Considerando-se que o Campeonato Gaúcho tem apenas uma equipe da primeira divisão nacional, o Grêmio, e mais duas além do Inter que jogarão a Série B no segundo semestre, uma análise óbvia mostra que o nível técnico é mais baixo que no certame anterior. 
 
A justificativa do técnico Antonio Carlos Zago é que o Colorado é um time em formação. A reconstrução da equipe será um processo lento que tem no retorno à elite o objetivo principal. Até lá, tudo servirá de aprendizado. Um processo de acerto e erro. 
 
"Temos que buscar uma formação ideal, já temos uma base. Espero que a equipe possa crescer para a próxima fase. Agora são jogos importantes, grandes, e temos que crescer na hora certa. Espero que o time possa manter uma regularidade agora", disse. "Precisávamos de uma classificação melhor. Temos coisas a melhorar, infelizmente às vezes não temos tempo para treinar como gostaríamos. São as dificuldades que temos e temos que vencer", completou. 
 
Contra o Cruzeiro-RS, na derrota por 2 a 1, nessa quarta-feira, novamente a zaga não foi bem. Falhou principalmente pelos lados, no primeiro tempo. Por onde nasceram os dois gols do time azul e branco. Foi o 11º jogo pelo Estadual e apenas em dois a meta vermelha não foi vazada. 
 
O adversário nas quartas de final do Campeonato Gaúcho será o mesmo Cruzeiro-RS. O primeiro jogo está marcado para domingo e será disputado no Beira-Rio. O duelo de volta, no fim de semana seguinte, ocorrerá no estádio Vieirão, em Gravataí, na região metropolitana de Porto Alegre.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos