Após meio ano, Fabinho supera pior momento e inicia 'restauração' no Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Divulgação SC Internacional

    Fabinho volta ao Internacional seis meses depois da primeira fratura de sua carreura

    Fabinho volta ao Internacional seis meses depois da primeira fratura de sua carreura

Há exatos seis meses, Fabinho vivia um recomeço no Inter. Volante de origem, estava ocupando bem a lateral direita e passava a ganhar espaço no time novamente. Até que, em uma jogada no campo de defesa do duelo contra o Oeste no Beira-Rio, torceu o tornozelo e caiu aparentando sentir fortes dores. Fraturou o local, precisou de cirurgia e desde então não jogou mais futebol. Nesta sexta-feira (26), recebeu uma boa notícia. Meio ano depois, voltou a ser relacionado.

O jogador admite publicamente que viveu o pior momento de sua carreira. Jamais tinha sofrido qualquer lesão grave desde os tempos de base. Mas afastado ele se reconstruiu e na pré-temporada já mostrava-se empenhado em reaver posto no grupo.

"Eu vou falar que foi muito difícil este período para mim. Não esperava passar por um período tão difícil na carreira por lesão. Nunca tinha passado por uma cirurgia na carreira. Foi um tempo fortalecedor, de restauração. Estava desempenhando uma função que não era a minha, mas dando conta do recado. Estou muito feliz e motivado para neste ano almejar coisas maiores. Vou trabalhar da mesma maneira que trabalhei, esperando minha chance. É como eu sempre falo, estou à disposição. Se ele entender que eu posso ser lateral, que posso ser volante, ele me conhece. São quase três anos no clube, ele conhece minhas características. Quero ajudar. A vontade, a garra, a determinação ficaram até maior pela situação que eu passei", disse.

Mas 2018 não parecia promissor. Treinando forte na preparação, atrás de recondicionamento físico e técnico, Fabinho recebeu uma má notícia. Não foi inscrito no Gauchão na primeira lista de disponíveis entregues pelo Inter à Federação Gaúcha de Futebol.

Como rotina em sua carreira, ele trabalhou calado. Manteve-se em forma, respeitou o momento pelo qual passava. Até que na última semana foi inscrito e nesta sexta relacionado para o jogo de sábado diante do Avenida. Não deve ser titular, mas só o fato de estar disponível já é motivo de comemoração.

"Eu quero continuar o trabalho. Tenho que ter paciência. Chegaram novos atletas, eu tenho que trabalhar respeitando o processo, o meu corpo, estou há cinco meses sem trabalhar com bola. Nas férias se faz um trabalho para não ficar limitado, tenho que esperar minha oportunidade, sei que uma hora ela vai chegar. Vou trabalhar forte como sempre", afirmou.

Inter e Avenida jogam às 16h30 (de Brasília) no sábado, no Beira-Rio. A equipe escalada por Odair Hellmann deve ser totalmente reserva, mantendo processo de rotação de elenco no início da temporada.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos