Eliminar o Grêmio e desforra nas piadas: Roger se diz pronto para Gre-Nal

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Internacional

    Roger, centroavante do Inter, será titular no Gre-Nal deste domingo, no Beira-Rio

    Roger, centroavante do Inter, será titular no Gre-Nal deste domingo, no Beira-Rio

Roger será titular do Inter no clássico Gre-Nal. Com a contratura na cervical de Damião, o centroavante ocupará o comando de ataque vermelho. E falou sobre tudo que significa o jogo deste domingo.

"Eu acho que por ser um Gre-Nal já tem um diferencial, já é um jogo diferente, um jogo que mexe com a cidade, muitas partes do país passa o jogo, é um grande jogo, pegado, um jogo em que as equipes jogam para vencer, não querem se defender. O futebol é assim, um dia o clube brinca e é campeão, no outro dia o outro ganha. Eu sou a favor da brincadeira. Sinceramente, tudo que a gente fala é motivo de polêmica, de discussão de mesas redondas. Quer brincar, brinca, e depois também aguenta. Que após tenha espírito esportivo que eu tenho pelo menos, não sei se posso falar por todos. Quer provocar, bacana, mas aguenta. A torcida não deve levar isso para arquibancada, que todos curtam o jogo, e voltem para casa tranquilos, em paz, porque segunda-feira todos têm que trabalhar", disse.

Roger foi questionado devido às brincadeiras que o Grêmio fez com Inter ao voltar do título da Libertadores. Os jogadores desfilavam por Porto Alegre em carreata cantando 'um minuto de silêncio, para o Inter que está morto'.

Agora, é o Colorado que pode 'matar' o rival do Campeonato Gaúcho. Se o Inter vencer o Gre-Nal e o Juventude bater o Veranópolis, o Grêmio está eliminado prematuramente da competição.

"O mata-mata para nós já foi na primeira rodada. Traçamos objetivos e vocês sabem disso. Um dos objetivos era classificar em primeiro. Já que a perda do título ano passado passou muito por não decidir em casa. Foi um dos objetivos. Tem um gosto especial, eliminar o rival é sempre legal. Ai entra a nossa hora de brincar, de fazer a nossa gozação sadia, sem expor ninguém, a brincadeira é válida, e acho que está na nossa mão, podemos fazer um grande jogo, passar em primeiro e tirar o coirmão", disse.

Roger recuperou-se de um tumor e voltou aos poucos. Ainda está atrás da melhor forma, mas se diz pronto para o embate.

"É claro que eu queria ter marcado mais gols, aproveitado melhor as chances com gols. Mas foi muito bom eu ter jogado, ganho ritmo de jogo, estar chegando para as decisões num nível físico e técnico que o Damião estava para uma disputa aberta e justa. Quero agradecer a nossa diretoria, os profissionais, todos me deram essa tranquilidade, este tempo, não tive nenhuma cobrança e isso faz diferença. Entender o que eu passei, e hoje me vendo tão saudável parece que são simples, mas foi complicado. Hoje tenho que agradecer e retribuir com grande jogo e se Deus quiser marcar", afirmou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos