Torcedor que agrediu repórter não foi ao Jecrim, mas Inter promete puni-lo

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

A Justiça ainda não tem a identificação do torcedor do Inter que agrediu a jornalista Renata de Medeiros antes do clássico Gre-Nal do último domingo (11). O ato ocorreu pouco antes da bola rolar e foi registrado por ela em vídeo.

Logo após a partida, o Internacional divulgou nota informando que o agressor havia sido encaminhado ao Jecrim (Juizado Especial Criminal) do Beira-Rio. No entanto, o responsável pelo local, Marco Aurélio Xavier, disse ao UOL Esporte que isso não aconteceu.

O Colorado retificou a informação dizendo que todos os registros de imagem do torcedor no estádio estão sendo analisados e, de fato, ele não foi encaminhado diretamente ao Jecrim. A reportagem do UOL Esporte apurou que ele foi retirado do estádio pelos seguranças do jogo (Stewards), mas o local de destino é incerto.

O comando de segurança do Internacional uniu imagens de toda movimentação do torcedor durante o clássico. Está atrás da identificação dele, que se dá através da entrada na catraca, onde fica registrada a carteirinha que foi utilizada.

Se sócio, o clube promete as ações cabíveis contra ele, como suspensão do quadro ou exclusão. Se ele não for sócio, a Justiça se encarrega da pena, que pode ir desde afastamento de estádios até indenização.

Ainda no domingo foi registrado Boletim de Ocorrência na Delegacia do Torcedor contra o agressor.

Renata preferiu não se manifestar logo de cara e ganhou apoio da RBS. Em contato com o UOL Esporte, a empresa disse estar dando todo suporte necessário para sua funcionária. A informação de que havia orientado ela a não se manifestar foi rechaçada pela empresa, que disse que a opção pelo silêncio partiu da jornalista.

Confira a nota do Internacional sobre o caso:

O Sport Club Internacional lamenta e repudia o ato discriminatório sofrido pela repórter Renata de Medeiros, da Rádio Gaúcha, durante o Gre-Nal deste domingo |(11/3), no Beira-Rio. O torcedor que proferiu palavras ofensivas e agrediu a profissional foi imediatamente retirado do estádio pelos seguranças do Clube e conduzido ao Juizado Especial Criminal (JECRIM).

Foi uma situação lamentável e totalmente contrária aos princípios do Clube. Portanto, sempre que ocorrer fatos deste tipo no estádio, o Internacional pede que a vítima denuncie o agressor para que as medidas cabíveis possam ser tomadas.

Confira a nota da RBS sobre o caso:

O Grupo RBS manifesta sua solidariedade à repórter da Gaúcha, Renata Medeiros. A empresa está tomando as providências cabíveis, assim como o Sport Club Internacional. Logo após o episódio de agressão do torcedor à repórter, durante o clássico Gre-Nal, domingo (11), foi registrado um boletim de ocorrência relatando o fato e solicitando sua devida apuração. A RBS repudia toda e qualquer forma de violência dirigida a jornalistas em atividade profissional e reitera sua inconformidade com acontecimentos desse gênero.

Caso de machismo também sob análise

Outro caso que chamou atenção foi de aficionados fazendo gestos obscenos para mulheres gremistas em um dos camarotes. O caso também é tratado como prioridade no Inter, que pretende identificar e punir os protagonistas com o mesmo procedimento de avaliação de imagem e registro feito através da entrada no estádio. E a punição será semelhante.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos