Luan chega a cinco gols em clássico e entra em galeria de 'homem Gre-Nal'

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • Lucas Uebel/Grêmio FBPA

    Luan já tirou onda do Inter, fez gol em goleada e agora liderou Grêmio em jogo no Beira-Rio

    Luan já tirou onda do Inter, fez gol em goleada e agora liderou Grêmio em jogo no Beira-Rio

Luan foi o grande nome do Gre-Nal 413 e subiu mais um degrau na escadaria de ídolos do Grêmio. Protagonista de cornetas para cima do Internacional, o camisa 7 confirmou no campo a grande fase e chegou a cinco gols em clássicos. O rótulo de 'homem Gre-Nal' se torna inevitável, mesmo que o próprio tente ficar longe do status.

O termo é antigo e já foi aplicado em vários casos. O 'homem Gre-Nal' em Porto Alegre é sinônimo de jogador decisivo. D'Alessandro é o representante mais recente do lado do Inter. No Grêmio, a espécie parecia em extinção. Até Luan aparecer.

"Procuro buscar todas as marcas. Gols, títulos… Cada pedacinho vai agregando e é importante para minha carreira, minha história no clube. Sei que tem peso, aqui a rivalidade é grande. Eu me destacando contra eles é importante", disse Luan.

Mais do que os gols, a atuação de Luan se destacou. Flutuando entre os volantes e a zaga do Inter, o meia-atacante liderou um Grêmio que foi muito melhor até o intervalo. Saiu dos pés do camisa 7 duas assistências para lances que por pouco não ampliaram o escore.

A história de Luan contra o Inter começou em 2014. Ele marcou um gol na goleada de 4 a 1, válida pelo Campeonato Brasileiro. No ano seguinte, ele foi um dos protagonistas do histórico 5 a 0 em cima do Colorado. E agora, mais dois gols na conta.

"Eu tenho alguns gols contra o Inter, grandes vitórias. Mas não me rotulo como homem Gre-Nal. Quero ajudar, quero ganhar títulos", comentou o meia-atacante.

De 2016 para cá, Luan passou a misturar comemorações com alfinetadas. Depois do título da Copa do Brasil, ele passou a soltar a frase "o Grêmio é campeão e o Sasha é um c...". Houve dança com bandeirinha de escanteio, ironizando a valsa do próprio Eduardo Sasha meses antes para tirar onda dos 15 anos do Tricolor sem taças. Mas agora não há nada em vista.

"Não pensei nisso. O que aconteceu foi só uma resposta para algo que fizeram quando a gente não estava bem. Eu não penso nisso, não penso em corneta", garantiu Luan.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos