Coletivo e sem pressão por conquistas: Inter admite bom momento do Grêmio

Do UOL, em Porto Alegre

  • LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

    Ramiro e Rodrigo Dourado disputam a bola no clássico entre Internacional e Grêmio

    Ramiro e Rodrigo Dourado disputam a bola no clássico entre Internacional e Grêmio

O Internacional reconhece o poder do Grêmio. Com as quartas de final do Gauchão decididas em Gre-Nal a partir do próximo domingo, o time vermelho salienta o poder coletivo e a tranquilidade que o Tricolor tem nos últimos anos pela conquistas de títulos.

Em encontros de outras épocas a situação foi adversa. Pelas glórias atingidas nos anos 2000 o Internacional pisava no gramado mais leve. O Grêmio chegou a somar 15 anos sem grandes conquistas e já começava as partidas pressionado.

Mas a balança virou e nos últimos anos só deu Grêmio. Copa do Brasil, Libertadores, Recopa, todas conquistadas. De quebra o Inter rebaixado para Série B e de volta sem conquistar o torneio.

E não é apenas a tranquilidade pelas conquistas que chama atenção no rival. O poder coletivo reflexo da manutenção da base do time e do treinador requisitam cautela.

"O time do Grêmio vem há dois anos jogando junto, se não mais. Porque antes do Renato (Gaúcho) já era a mesma estrutura, o mesmo modelo com o Roger (Machado). Jogadores que se destacam no futebol brasileiro, convocados para seleção, de qualidade. Mas jogo é jogo. Nesses dois jogos temos condições de fazer, e a partir de amanhã, podemos observar e ler o que aconteceu no primeiro tempo no Beira-Rio para entrarmos como entramos no segundo tempo. Temos que equilibrar e fazer isso durante 90 minutos. O time do Grêmio é um time pronto e forte", disse o técnico Odair Hellmann.

O encontro do último domingo deixou marcas. O Internacional foi muito mal no primeiro tempo e saiu de campo perdendo por 2 a 0. No segundo melhorou bastante, igualou forças, fez um gol, perdeu uma série de chances e acabou derrotado por 2 a 1. E o placar forçou mais dois jogos. Agora, quem cair da eliminatória está fora do Gauchão.

"Não vejo o Grêmio muito à frente do Inter. É um time e um treinador que estão há muito tempo juntos. Praticamente o mesmo time. Vem de conquistas, está com confiança, jogadores que se conhecem, vejo esta vantagem. Mas Gre-Nal é como vimos domingo. Uma vantagem deles no primeiro tempo, nossa no segundo. Só não fomos tão efetivos para fazer os gols que nos dessem igualdade. Gre-Nal nunca tem favorito, os times se superam e se igualam. Vamos mais fortes do que fomos para o Gre-Nal da semana passada", afirmou o vice de futebol Roberto Melo.

Depois de bater o Cianorte por 2 a 0 e confirmar vaga na quarta fase da Copa do Brasil, o Internacional começa a se preparar para o duelo de domingo imediatamente. Leandro Damião e William Pottker ainda ficarão fora e Marcinho ganhou força por vaga na equipe.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos