Polícia conclui inquérito e indicia agressor de jornalista no Gre-Nal

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

Após análise das imagens repassadas pelo Inter e investigação nos últimos dias, a 20ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre abriu inquérito contra o agressor da repórter Renata de Medeiros, da Rádio Gaúcha. O fato ocorreu no último domingo, pouco antes da bola rolar no Gre-Nal do Beira-Rio. 

O nome do agressor, já identificado, é mantido em sigilo. A reportagem do UOL Esporte apurou, no entanto, que não se trata de um sócio do Internacional, pois ele entrou no estádio portando carteirinha de outra pessoa. Ele não tem antecedentes criminais, portanto, é considerado réu primário. 

O inquérito foi aberto por injúria e será repassado ao poder judiciário ainda nesta quinta-feira. Até sexta deve chegar ao Ministério Público que abrirá ou não um processo criminal. 

Incluso no artigo 140 do Código Penal, o agressor pode pegar de um a quatro anos de prisão. Porém, por ter bons antecedentes a tendência é que exista a transação penal com pagamento de outra forma. 

Relembre o caso

Renata trabalhava entrevistando torcedores do Internacional antes do clássico Gre-Nal do último domingo. O agressor, sem razão aparente, proferiu uma série de xingamentos contra a jornalista. Ela, munida de um celular, começou a gravar um vídeo e questionou ele: "Do que você me chamou?", perguntou. Ele, irritado, deu um soco na altura do braço da repórter, que realizou Boletim de Ocorrência no domingo mesmo, na Delegacia do Torcedor, do Beira-Rio. 

O agressor foi retirado do estádio pelos seguranças do Inter na ocasião, mas não foi encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim) para responder pelos atos. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos