"Perder clássico dói, e tem que doer mesmo", diz técnico do Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Jeferson Guareze/AGIF

    O técnico Odair Hellmann acompanha o clássico entre Grêmio e Inter

    O técnico Odair Hellmann acompanha o clássico entre Grêmio e Inter

Perder clássico dói, e é uma dor que precisa ser sentida. Essa é a avaliação do técnico Odair Hellmann após o 3 a 0 que sua equipe sofreu contra o Grêmio neste domingo. Segundo o comandante do Inter, é preciso entender o contexto da derrota para não tomar decisões erradas.

"Não gosto de perder par ou ímpar, jogo normal, clássico. Dói em mim como dói no torcedor. Tenho que seguir trabalhando com minhas convicções. Perder clássico dói, e tem que doer mesmo. Não pode se acomodar com as derrotas. São momentos que vão passar também e vão acontecer as vitórias. Mas certamente que derrotas doem. E não só em clássico, mas todas. É o poder de indignação que temos que ter para construir as vitórias", afirmou o comandante.

O Internacional acredita que foi bem no primeiro tempo. Teve as melhores chances do jogo até levar um gol, faltando 30 segundos para acabar a etapa inicial.

"O gol aos 48 e meio fere um pouco. Tu fazendo um bom primeiro tempo, organizado, tirando espaço, Grêmio sem criar chance, você cria situações de gol, e aos 48 e meio se toma o gol. Se volta sentido no intervalo, em termos táticos fomos bem, a não ser no gol. Vacilamos um pouco. A parte anímica abala um pouco. No segundo tempo tentamos reanimar para voltar concentrados, o Grêmio pressionou no começo, escanteios, faltas, mas não teve chance. O segundo gol, que traz a dificuldade, foi um gol de falta... Não é só a parte anímica, mas tomar aquele gol, trouxe a gente ainda mais abaixo", explicou Odair.

Mas os infortúnios recentes precisam ser contextualizados. Segundo o comandante do Internacional é necessário ter atenção para não achar que tudo está errado a partir das quedas.

"Eu penso que quarta-feira tem mais um clássico. Perdemos dois. Temos que saber fazer uma avaliação do todo, do contexto, do Grêmio, olhar para o Inter, confiar nas convicções, acreditar no trabalho e saber que passaríamos por situações difíceis, que a caminhada teria espinhos. É um momento ruim, ninguém gosta de perder, ainda mais numa fase classificatória. Quanto a isso, vamos tentar buscar a vitória, sabendo que o Grêmio tem toda vantagem. Mas não podemos fazer o quarto gol antes do primeiro. Vamos tentar traduzir as chances que estamos fazendo em gol. E depois a vitória", explicou. "Ainda não acabou, tem mais um jogo. O Grêmio tem uma vantagem grande. Mas ainda não acabou. Vamos jogar com muita vontade pela vitória. Como vai ser? Quanto vai ser? Temos que entrar com muita força para tentar ganhar a partida, e no final ver o agregado", completou.

Precisa quatro gols de vantagem. Reverter a margem do Grêmio não será fácil para o Inter. O confronto está marcado para as 21h45 (de Brasília) da próxima quarta-feira.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos