Domínio no Gre-Nal era o que faltava para consolidar 'era do Grêmio'

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • Lucas Uebel/Grêmio

    Grêmio venceu dois clássicos de 2018 e está muito perto de eliminar o Inter no Gauchão

    Grêmio venceu dois clássicos de 2018 e está muito perto de eliminar o Inter no Gauchão

Campeão da Copa do Brasil, melhor da América e de novo soberano no cenário estadual. As vitórias em cima do Internacional, nesta arrancada de 2018, consolidam o Grêmio e sua nova era. Um período vitorioso, de regozijo em comparação com a década recente e que abre distância em relação ao maior rival. Algo que, até semana passada, ainda não era objetivo.

A comparação era óbvia. Campeão da Libertadores contra o vice da Série B, mas faltava o duelo para confirmar o que a torcida do Grêmio conjecturava. Não falta mais.

No clássico válido pela fase de classificação do Campeonato Gaúcho, vitória na casa do Inter com um primeiro tempo de luxo. Na partida de ida das quartas de final, triunfo incontestável na Arena e vaga encaminhada.

"O resultado tão elástico em um clássico é sempre diferente. Não tem como negar, o Grêmio vive um momento melhor que o Internacional, mas jogamos bem. Estávamos em um bom dia", disse Duda Kroeff, vice de futebol do Grêmio e um dos primeiros a puxar um discurso que evita falar abertamente do distanciamento entre os times.

O fato é que, desde 2016, quando voltou a vencer, o Grêmio esperava por um último degrau em sua escalada. Naquela temporada, o Tricolor apenas empatou o Gre-Nal do returno do Brasileirão. Uma vitória poderia ter antecipado o rebaixamento do arquirrival, que acabou caindo na última rodada. Em 2017, meses após erguer a Copa do Brasil, houve empate.

"O Grêmio ganhou a Copa do Brasil, Libertadores, tem jogador do Barcelona, da seleção. Eles estão em um momento iluminado. Esta fase é deles, como o Inter teve oito ou dez anos assim. Ganhava em todo lugar... É o momento do Grêmio estruturado, treinador há tempos no cargo, com ideia de jogo", disse Odair Hellmann.

A rivalidade que tanto catapultou um e outro lado, com desafios locais, volta a ter importância dobrada no Grêmio. A série de jogos sem derrota para o Inter, que não ganha desde 2015, e a classificação em um duelo precoce significam muito.

"A gente sabe que a gente está vivendo um melhor momento. Mas se tratando de clássico não tem favorito", amenizou Arthur. "A gente está dando sequência no trabalho do ano passado. Falei que a partir do quinto ou sexto jogo íamos voltar a jogar o futebol do ano passado. Estamos no caminho certo, temos algumas coisas a melhorar. Esse é o futebol bonito. Um futebol ofensivo. Um futebol que eles possam decidir e jogar sem medo. O Grêmio está recuperando o que fez ano passado", comentou Renato Gaúcho.

Na quarta-feira, o Grêmio enfrenta o Internacional pela terceira vez em um período de dez dias. O Tricolor pode até perder por 2 a 0 que estará na semifinal do Gauchão. A consolidação da nova era já está aí, com o duelo local como seu degrau mais recente a ser superado.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos