Odair agradece e diz que Inter teve sabedoria para reverter momento ruim

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Jeferson Guareze/AGIF

    O técnico Odair Hellmann acompanha o clássico entre Grêmio e Inter

    O técnico Odair Hellmann acompanha o clássico entre Grêmio e Inter

O Internacional venceu o Grêmio por 2 a 0. Por pouco não conseguiu igualar o placar sofrido no jogo de ida das quartas de final do Gauchão e que levaria a decisão para os pênaltis. E depois da partida, o técnico Odair Hellmann celebrou o apoio e disse que a sabedoria de contornar o momento ruim foi fundamental.

"Quando o Beira-Rio ruge deste jeito, é bonito, o time se fortalece. Obrigado, torcedor, pelo apoio, foi lindo. Nos ajudaram muito. Os jogadores deixaram tudo no campo, tentamos nos classificar até o fim, a diferença foi o escore e vamos seguir trabalhando para as próximas competições seguir adiante", disse o treinador antes mesmo de responder as primeiras perguntas na entrevista coletiva.

O Colorado bateu na trave. Por pouco não conseguiu reverter a vantagem do Grêmio construída no jogo de ida. Faltou um gol. E segundo o treinador, a vitória veio, também, por ter suportado o momento ruim.

"Eu não gosto de perder, nem par ou ímpar, imagina grenal. Não gostei de nenhum dos dois. Não vou gostar nem aceitar nunca. Agora respeito as pessoas falarem, respeito quem falou (contra o time), tenho que ter convicção no meu trabalho, seguir na minha linha, não me deixar influenciar por isso. Tem que ter sabedoria, tranquilidade, seguir meu caminho. Respeitando as pessoas, as críticas, faz parte da minha profissão isso. Tenho que ter este entendimento e seguir adiante. Depois da tempestade vem o tempo bom. Tenho que ter essa convicção. Não entrei para perder, não gostei do resultado, é difícil perder, mas que bom que veio a vitória para que se pare um pouco isso", afirmou.

Odair e o Inter suportaram todo tipo de pressão externa pelas duas derrotas seguidas contra o Grêmio. Momentos que não foram totalmente justo pela criação dos dois times, na avaliação interna.

"Depois do 3 a 0 era até difícil falar em reversão. Mas com o jogo no Beira-Rio, uma daquelas bolas que criamos iguais as que o Grêmio criou, e agora fica mais fácil de falar. Porque falar de números numa derrota é difícil. Em números de chances, criamos iguais ao Grêmio. Só que entraram lá e não entraram aqui. Não seria injusto dizer que o placar poderia ter sido 2 a 2 no primeiro Gre-Nal. Poderia ter saído o terceiro, poderia ter sido 2 a 2, ou 3 a 1 ou 3 a 2 na Arena. Não foi. Aí 3 a 0 vai para outro jogo....Mas nós sabíamos que se conseguíssemos reproduzir, uma sequência maior nos 90 minutos teríamos chance maior de buscar a classificação. Não poderíamos falar nisso e vender essa ilusão ao torcedor, que o quarto sairia antes do primeiro. Tínhamos que fazer um jogo seguro, equilibrado, construir o ambiente e as coisas se encaminhariam favoraveis, como aconteceu", finalizou.

Fora do Gauchão, o Inter terá pela frente o Vitória na quarta fase da Copa do Brasil. O jogo de ida acontece no dia 4 de abril, em Porto Alegre.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos