Grêmio volta a vencer o Brasil de Pelotas e conquista o Gauchão após 8 anos

Do UOL, em Porto Alegre

O Grêmio não precisava vencer para ser campeão gaúcho. Mas venceu. Neste domingo (08), o Tricolor bateu o Brasil de Pelotas por 3 a 0 (já tinha vencido por 4 a 0 no jogo de ida) e ergueu a taça do Estadual pela 37ª vez. Cícero, Léo Moura e Alisson fizeram os gols. 

Há oito anos que o Grêmio não vencia o Campeonato Gaúcho. A última vez que tinha levado a taça tinha sido em 2010. Mas a fase é totalmente outra, e foi o quarto título conquistado pelo Grêmio em 16 meses. Média de um novo título a cada quatro meses desde o início do 'ciclo virtuoso' com a Copa do Brasil de 2016. Além dela e do Gauchão estão na lista a Libertadores e a Recopa.

Ao Tricolor, agora, abrem-se novas perspectivas. O Brasileiro, a Libertadores, a Copa do Brasil e o desejo de manter a série vencedora. Já o Brasil de Pelotas tem calendário cheio com a Série B do Brasileiro.

Foi bem: Cícero, o predestinado

Cícero é predestinado. Depois de marcar no jogo de ida da final da Libertadores no ano passado, o jogador saiu do banco de reservas para fazer o gol que abriu o placar no título gaúcho. 

Foi mal: Leandro Leite é infantil

Leandro Leite foi muito mal. Com três minutos de jogo chamou a primeira confusão. Cometeu falta forte, recebeu amarelo. E no início do segundo tempo foi driblado por Jael e tentou três vezes até cometer falta por trás. Foi bem expulso e em vez de deixar o campo, 'peitou' o árbitro Leandro Vuaden e atrasou o recomeço da partida permanecendo à beira do gramado. 

"Fica, Renato"

Antes do começo do jogo e antes do início do segundo tempo. Quando Renato Gaúcho pisou no gramado, os torcedores do Grêmio pediram sua permanência. Com sondagem do Flamengo, o treinador vive futuro incerto e pode trocar Porto Alegre pelo Rio de Janeiro. 

Brasil de Pelotas tenta pressionar

Atrás no placar pela goleada sofrida no jogo de ida, o Brasil de Pelotas não encontrou outra alternativa que não atacar. Tentou, desde o primeiro minuto, pressionar com linhas altas e romper as alternativas de passe do Grêmio com muita intensidade. No entanto não conseguiria manter o ritmo frenético que começou o jogo durante todo período. Já aos 20 de jogo não tinha a mesma força para chegar à frente com ou sem a bola. Criou algumas chances com Alisson Farias acertando a trave ou Calyson batendo para fora. Fez uma partida regular, tal qual no primeiro tempo da Arena, mas com perfil totalmente contrário.

Grêmio cansa o Brasil e administra

O Grêmio começou a partida já em larga vantagem. Não tinha razão alguma para se expor ou correr riscos. Tratou de trocar passes, muitas vezes no setor defensivo. Abusou da qualidade de Arthur no controle do ritmo da partida, levando a bola de um lado a outro e fazendo os jogadores rivais correrem atrás, abandonarem a pressão e por vezes até desorganizarem o bloco defensivo. Reflexo claro disso foi um Brasil de Pelotas cada vez mais cansado e Grêmio cada vez mais protagonista. Até que Jael criou uma boa alternativa chutando para fora. Seguiu melhor e deixou qualquer ameaça para trás.

Falta de Luan engana o estádio

Aos 40 minutos do primeiro tempo, uma das oportunidades mais claras do jogo enganou boa parte do estádio Bento Freitas. Foi Luan bater uma falta em direção ao gol e acertar a rede pelo lado de fora, alto, na trave que sustenta as redes, e os gremistas começaram a vibrar. Segundos mais tarde perceberam que não passou de um tiro de meta.

Brasil de Pelotas fica com 10

No começo do segundo tempo, um lance colocou o Brasil de Pelotas em inferioridade numérica de novo. Após ficar com 10 no fim do primeiro tempo no jogo de ida, o Rubro-Negro ficou com 10 novamente no duelo de volta. Leandro Leite, que já tinha amarelo, cometeu falta por trás em Jael, foi expulso, reclamou muito e ainda atrasou a conclusão de jogo ao permanecer à beira do gramado. 

Com um a mais, Grêmio 'mata' o Brasil

Se já tinha uma larga vantagem no começo do jogo, o Grêmio tratou de administrar o jogo a partir da expulsão de Leandro Leite. Se antes via o Brasil pressionar e tentava o contra-ataque, o Tricolor passou a perceber o rival recolhido e preservou a posse de bola. Tratou de trocar passes de um lado a outro e não passou qualquer percalço. Até que, aos 35 do segundo tempo, Cícero colocou nas redes. Dois minutos depois, Alisson fez o segundo e confirmou a vitória ao time de Porto Alegre. Antes do fim, Léo Moura ainda fez o terceiro. 

FICHA TÉCNICA

BRASIL DE PELOTAS 0 X 3 GRÊMIO
Data
: 08/04/2018 (Domingo)
Local: estádio Bento Freitas, em Pelotas (RS)
Árbitro: Leandro Vuaden
Auxiliares: Rafael Silva Alves e Lúcio Beiersdorf Flor
Cartões amarelos:  Jael (GRE); Leandro Leite (BRA)
Cartões vermelhos: Leandro Leite (BRA)
Gols: Cícero, do Grêmio, aos 35 minutos do segundo tempo; Alisson,do Grêmio, aos 37 minutos do segundo tempo. Léo Moura, do Grêmio, aos 44 minutos do segundo tempo. 

BRASIL DE PELOTAS
Marcelo Pitol; Ednei, Héverton, Leandro Camilo e Bruno Collaço (Rafael Dumas); Leandro Leite, Valdemir, Morrosó (Souza) e Alisson Farias; Calyson e Lourency (Léo Bahia).
Técnico: Clemer

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Léo Moura, Pedro Geromel, Kannemann e Cortez; Maicon, Arthur, Ramiro (Alisson), Luan (Cícero) e Everton; Jael (Thonny Anderson).
Técnico: Renato Gaúcho

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos