UOL Esporte Campeonato Inglês
 
26/02/2010 - 16h52

Em meio à polêmica, Terry planeja cumprimentar Bridge antes de jogo

Bruno Freitas
Em Londres (Inglaterra)

TERRY E BRIDGE: FESTA DOS TABLOIDES

  • John Terry e Wayne Bridge são os campeões de aparição nos tabloides nas últimas semanas

  • Daily Mirror diz em página que técnico Capello quer os leões e não os mentirosos na seleção inglesa

O tão esperado reencontro entre John Terry e Wayne Bridge, que irá acontecer na partida entre Chelsea e Manchester City, neste sábado, às 9h45 (horário de Brasília), deve ser pacífico. Pelo menos este é o plano do capitão da equipe londrina, que planeja cumprimentar o ex-colega antes do confronto válido pelo Campeonato Inglês.

A revelação dos planos de Terry foi feita pelo brasileiro Belletti, atual lateral-direito do Chelsea.

“Você não imagina como está aqui dentro. Todo mundo falando disso, na TV esse é o único assunto. O Terry conversou com o grupo e disse que vai tentar apertar a mão do Bridge”, afirmou Belletti, em entrevista ao UOL Esporte nesta sexta-feira, no Millenium Hotel, na concentração do Chelsea, ao lado do estádio Stamford Bridge.

O gesto planejado por Terry pode ser interpretado como o tão aguardado pedido de desculpas pelo fato de o capitão do Chelsea ter mantido relações amorosas com a esposa de Bridge, a modelo francesa Vanessa Perroncel. Desde a revelação do caso, os dois jogadores se tornaram o assunto predileto dos famosos tabloides sensacionalistas, e o público inglês acompanha de forma voraz cada capítulo dessa novela.

“Ele [Terry] é o Mr. Chelsea, bateu pênalti decisivo na Champions League. É uma espécie de Rogério Ceni para nós, ou até mais do que isso. Está no clube desde antes do Abramovich [milionário russo proprietário do Chelsea]. Por isso teve que falar com a gente. Nos vestiários ele conta para a gente: Olha, não fiz nada. Ele jura isso”, completou Belletti.

Além de arruinar a amizade entre Terry e Bridge, o escândalo sexual também causou problemas na esfera desportiva, principalmente na seleção inglesa. Após a revelação do caso, o técnico Fábio Capello decidiu retirar a braçadeira de capitão do zagueiro do Chelsea, enquanto o lateral do Manchester City, por meio de uma carta, abriu mão de participar da Copa do Mundo da África do Sul, alegando um suposto desconforto pela sua presença no grupo.

Por conta desse cenário desenhado nas páginas dos jornais e nos programas de TV, a partida entre o Chelsea, atual líder do Campeonato Inglês, e o Manchester City, quinto colocado, deve paralisar a Inglaterra.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host