UOL Esporte Campeonato Inglês
 
26/02/2010 - 13h55

Pivôs de escândalo sexual da seleção inglesa se reencontram para festa dos tabloides

Bruno Freitas
Em Londres (Inglaterra)

TERRY E COLE: FESTA DOS TABLOIDES

John Terry e Wayne Bridge são os campeões de aparição nos tabloides nas últimas semanas
Daily Mirror diz em página que técnico Capello quer os leões e não os mentirosos na seleção inglesa
Cheryl Cole, mulher do lateral-esquerdo da seleção inglesa: traída e na capa de jornais ingleses
Tabloide local usa quadrinhos para contar as aventuras extraconjugais de Ashley Cole

A Inglaterra vai parar neste sábado para o reencontro de dois personagens centrais de um escândalo de sexo, traição e Copa que abalou o futebol do país recentemente e até fez o problema respingar sobre o planejamento da equipe nacional para o Mundial da África do Sul.

Em confronto válido pela 28ª rodada do Campeonato Inglês, o Chelsea enfrenta o Manchester City, no estádio Stamford Bridge, em Londres. Esportivamente, se trata apenas de um jogo em que o líder da competição defende sua vantagem. Mas, para os olhos da poderosa mídia de escândalos do país, a partida vale como o reencontro do zagueiro John Terry com o lateral Wayne Bridge, ex-companheiros de seleção que viram a amizade ruir após a infidelidade da mulher do segundo com o primeiro.

Nas últimas semanas, os jornais da Inglaterra levaram ao público, em capítulos e com detalhes, a traição da modelo francesa Vanessa Perroncel a Bridge. A então esposa do lateral do Manchester City teve exposto um caso extraconjugal com John Terry, capitão da seleção inglesa, com direito a especulação de gravidez e aborto. Na época, os dois atletas jogavam no Chelsea.

Em seguida a imprensa do país fez de Terry e Bridge os personagens mais acompanhados do esporte nacional. O zagueiro, por exemplo, ganhou folga do Chelsea para tentar se reconciliar com a mulher, que se refugiou com os filhos em Dubai durante a confusão. Toda a viagem e o êxito do ex-capitão inglês no resgate de seu casamento foram retratados passo a passo por enviados especiais, com direito às tradicionais fotos de paparazzi.

Quase que imediatamente a história acabou comprometendo o planejamento do técnico Fabio Capello para a Copa da África do Sul. Depois de uma campanha irrepreensível nas eliminatórias europeias, que inspiraram prognósticos promissores, o treinador italiano se viu mais ocupado com a mediação de problemas entre jogadores e baixas no elenco do que com estratégias de preparação para o Mundial em si.

Primeiro, o técnico se reuniu com Terry e decidiu tirar do zagueiro a braçadeira. Apesar da demonstração de quebra de confiança, Capello fez questão de manifestar que o jogador do Chelsea segue sendo fundamental em seus planos de Copa. A decisão complementar é efetivar Rio Ferdinand, do Manchester United, como novo capitão, em medida que deve ser anunciada na próxima semana, quando a equipe se reúne.

Nesta semana veio o segundo golpe na maré de conseqüências do caso. Tudo porque Bridge divulgou comunicado informando que abre mão de disputar a Copa do Mundo, por entender que sua presença no grupo que vai à África pode causar desconforto. Em nenhum momento da carta o lateral cita o nome do ex-amigo John Terry, mas os jornais especulam que a decisão foi sacramentada pelo fato de o jogador não ter recebido um pedido de desculpas do ex-companheiro.

"Pensei muito a respeito. Tenho muito orgulho de ter defendido a Inglaterra, mas penso que minha presença na equipe na Copa é insustentável e, potencialmente, poderia causar uma divisão", diz Bridge em um trecho de seu comunicado.

BELLETTI: BASTIDORES DOS VESTIÁRIOS

Não é apenas na seleção inglesa que os casos recentes envolvendo John Terry e Ashley Cole tumultuaram as últimas semanas. O Chelsea conta com os dois jogadores em seu elenco e, obviamente, tem de lidar com as repercussões de ambos os escândalos.

Uma testemunha da tensão vivida nos vestiários do clube de Londres nas últimas semanas é o brasileiro Belletti, campeão do mundo em 2002. O ex-atleta de Cruzeiro e São Paulo relata que John Terry teve que se justificar perante aos seus companheiros, pelo fato de ser o capitão do clube e líder incontestável dentro de campo.

“Ele é o Mr. Chelsea, bateu pênalti decisivo na Champions League. É uma espécie de Rogério Ceni para nós, ou até mais do que isso. Está no clube desde antes do Abramovich (milionário russo proprietário do Chelsea). Por isso teve que falar com a gente”, conta. “Nos vestiários ele conta para a gente: Olha, não fiz nada. Ele jura isso”, emenda Belletti.

Depois do pior momento do caso Terry x Bridge, o lateral brasileiro agora lamenta a chacoalhada do novo escândalo com um de seus companheiros. “Agora é esse caso com o Ashley. O problema é que a menina é a artista com mais fãs na Inglaterra. Isso tem atraído agora mais atenção ainda”, diz.

O problema é que Bridge estava quase oficializado por Capello como seu lateral-esquerdo titular na Copa, em razão da contusão do jogador preferido da posição, Ashley Cole, outro personagem de mais um escândalo do momento.

Horas antes da notícia, Capello afirmou no aeroporto de Milão que contava com Bridge para a Copa e pretendia usar o jogador, junto com Terry, num amistoso em Londres na quarta contra o Egito. Na chegada do voo em Londres, já avisado da baixa, o técnico não fez esforço para esconder a frustração.

Mesmo assim, o italiano estará presente neste sábado no Stamford Bridge no jogo tratado pela imprensa local como uma autêntica decisão, pelo menos em se tratando de caminhada para a Copa. O técnico diz ainda esperar demover Bridge de sua decisão.

Outro italiano, Carlo Ancelotti, que dirige o Chelsea, afirmou nesta sexta no treino do time que "Terry é um jogador profissional e não terá problemas em se concentrar só no jogo".

No entanto, nas páginas dos tabloides, a grande especulação da semana é sobre se Terry e Bridge vão se cumprimentar antes do jogo, durante as saudações iniciais entre as equipes adversárias. Existe até uma aposta sobre isso nas famosas casas londrinas do gênero. A resposta vem na manhã deste sábado, em horário brasileiro.

Escândalo número 2
No momento em que os dias mais intensos do caso Terry x Bridge parecem ficar para trás, surge no país um novo escândalo sexual envolvendo um jogador titular da seleção inglesa, que também figura no elenco do Chelsea. O lateral-esquerdo Ashley Cole, titular de Fabio Capello no English Team, teve uma série de relações extraconjugais deflagradas e está sendo deixado pela esposa, uma popular artista local, em incidente tratado como trama novelesca pelos tabloides mais sensacionalistas.

Cheryl Cole se trancou na mansão milionária do casal, cancelou uma turnê pela Europa e avisou a amigos e parentes sobre o fim do casamento. Tudo isso foi detalhadamente retratado pelos tabloides ingleses. Um deles, o Daily Mirror, fez até uma seção de quadrinhos, usando fotos dos envolvidos, para explicar o caso em tom quase de chacota.

As traições de Terry e Cole dominam a imprensa esportiva do país nas últimas semanas e se sobrepõem aos assuntos mais convencionais do segmento, como Copa do Mundo e disputas das competições nacionais. Na última quarta, Cristiano Ronaldo participou de um lançamento de um produto em Londres e foi insistentemente questionado sobre as polêmicas. Mas o astro do Real Madrid, que muitas vezes já sofreu com escândalos em jornais da Inglaterra, não hesitou em se esquivar dessa: "Sem comentários. Não me meto nisso".

Crédito das fotos: reprodução Daily Mirror

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host