Guardiola defende Bravo após estreia: "Uma das melhores atuações que já vi"

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/Manchester City

    Claudio Bravo conta que Guardiola pesou na escolha pelo Manchester City

    Claudio Bravo conta que Guardiola pesou na escolha pelo Manchester City

O goleiro Claudio Bravo, 33, foi um dos protagonistas em sua primeira partida com a camisa do Manchester City. O chileno estreou neste sábado (10), na vitória por 2 a 1 sobre o Manchester United, e chamou atenção por diferentes aspectos. No lado positivo, trabalhou muito com a bola nos pés e até iniciou a jogada do primeiro gol de sua equipe. Em contrapartida, falhou no lance em que Ibrahimovic balançou as redes e deu um carrinho em Wayne Rooney num dos momentos mais polêmicos do clássico.

"Foi uma das atuações que já vi. Gosto de goleiros que jogam. Depois do erro no gol, ele seguiu jogando da mesma maneira. Isso quer dizer muito. O problema nunca é cometer um erro, mas como você reage depois do erro", disse o treinador espanhol Pep Guardiola, comandante de Bravo no Manchester City, em entrevista coletiva.

Guardiola foi um dos principais responsáveis pela contratação de Bravo. O técnico chegou ao City nesta temporada e queria um goleiro que tivesse mais domínio com a bola nos pés. Por isso, preteriu o inglês Joe Hart, que era um dos ídolos da torcida.

Neste sábado, o jornal inglês "The Sun" lembrou Hart assim que Bravo errou no gol de Ibrahimovic. O periódico publicou em seu perfil na rede social Twitter uma imagem do antigo titular dando uma gargalhada.

Outros veículos ingleses foram menos irônicos, mas igualmente duros. O "Telegraph" classificou a atuação de Bravo como "um pesadelo", por exemplo, e o "Daily Mail" atribuiu ao chileno a pior nota entre os jogadores do Manchester City.

O português José Mourinho, técnico do United, também falou sobre Bravo. Na verdade, falou especificamente sobre um lance do segundo tempo, numa jogada em que o goleiro tentou sair jogando com a bola nos pés e precisou dar um carrinho perigoso na direção de Wayne Rooney para impedir que o atacante ficasse com ela.

"Era um lance para pênalti e cartão vermelho. Com certeza, seria algo para falta e cartão vermelho se tivesse acontecido fora da área", disse o português.

"É algo bem arriscado, sim. Se você perde a bola, sofre um gol. Mas se você consegue jogar, fica mais com a bola. E até meu último dia aqui na Inglaterra eu vou tentar ter a bola pelo maior tempo possível", respondeu Guardiola.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos