Jesus sai do banco, marca e líder City bate Arsenal em clássico polêmico

Do UOL, em São Paulo

  • Oli Scarff/AFP

    Jesus entrou apenas no segundo tempo, mas deixou sua marca

    Jesus entrou apenas no segundo tempo, mas deixou sua marca

Com direito a dois gols polêmicos (um deles de Gabriel Jesus, que começou no banco), o Manchester City bateu o Arsenal por 3 a 1 neste domingo, no Etihad Stadium, e manteve a folga na liderança do Campeonato Inglês.

De Bruyne, Agüero e o brasileiro anotaram para o time de Pep Guardiola, que chega a 31 pontos, oito de vantagem para o Manchester United (que joga ainda nesta tarde contra o Chelsea) e para o Tottenham. O Arsenal é o sexto, com 19.

Invicto após 11 rodadas, o City volta a campo no dia 18 de novembro, quando visita o Leicester. Já a equipe de Arsene Wenger busca a recuperação no mesmo dia em casa, no clássico londrino contra o Tottenham. A Premier League para no próximo final de semana para a Data Fifa.

Reserva de novo

Gabriel Jesus foi deixado no banco pelo técnico Pep Guardiola pelo segundo jogo seguido. A exemplo do compromisso contra o Napoli, na última quarta, pela Liga dos Campeões, o treinador optou por escalar o trio de ataque com Sterling, Sané e Agüero.

O brasileiro entrou apenas aos 17 do segundo tempo, no lugar do argentino. Teve uma ótima chance cinco minutos depois, mas parou numa defesa sensacional de Cech. Aos 29, porém, ele fez o terceiro da equipe, após bom passe de David Silva, que recebeu a bola em posição irregular.

Fernandinho vai bem

Se Jesus só atuou por 30 minutos, outro jogador da seleção brasileira saiu jogando e aproveitou a oportunidade. O volante Fernandinho tabelou com De Bruyne no lance do primeiro gol do City e deu excelente lançamento que culminou em pênalti sofrido por Sterling. Agüero cobrou e anotou o segundo. No terceiro, ele iniciou a jogada que culminou na conclusão de Jesus.

Chuteira azul

Lee Smith/Reutes

Depois de se tornar no meio de semana o maior artilheiro da história do Manchester City (178 gols), Sergio Agüero recebeu antes de a bola rolar neste domingo uma chuteira azul como merecida homenagem pelo feito. Pouco depois, o argentino aumentaria a conta para 179.

Série histórica mantida

Mais do que a liderança tranquila, o resultado positivo em casa manteve a maior série invicta da história do City. Agora são ao todo 23 jogos sem derrota. A última foi em abril, na semifinal da Copa da Inglaterra, justamente para o Arsenal.

Ficou barato

O primeiro tempo foi do Manchester City. Com muita posse de bola (que chegou a 70%) e velocidade pelas laterais, a equipe da casa já havia perdido três boas chances até abrir o placar com De Bruyne aos 19 minutos. O belga tabelou com Fernandinho e bateu cruzado, sem chances para Cech.

Mesmo em vantagem, o time de Guardiola manteve o domínio da partida e poderia ter feito mais não fosse a falta de capricho dos atacantes. O Arsenal teve só uma chance, nos acréscimos, mas Ederson fez boa defesa após chute de Alexis Sánchez – o chileno foi alvo do City na última janela de transferências e segue nos planos da diretoria, segundo a imprensa inglesa.

Pênalti polêmico

O segundo tempo mal tinha começado e a situação dos visitantes, que já não era fácil, se complicou mais quando o árbitro deu um pênalti para lá de controverso - Monreal disputou corpo a corpo com Sterling na área, e o inglês desabou. Agüero cobrou com precisão e aumentou a vantagem.

Oli Scarff/FP

Ederson dá susto, Arsenal desconta

Os visitantes conseguiram crescer após o segundo gol. Aos 10min, Ederson tentou encaixar chute de Iwobi e quase levou um frangaço – o goleiro brasileiro conseguiu se recuperar e evitar que a bola entrasse. Dez minutos depois, porém, Lacazette chutou forte e descontou.

Jesus fecha a conta

As esperanças do Arsenal durariam pouco tempo. Gabriel Jesus, que já havia obrigado Cech a fazer grande defesa pouco antes, só empurrou para o gol vazio aos 29 minutos após receber de David Silva na área. O gol foi irregular, já que o espanhol estava impedido quando foi acionado por Fernandinho. A partir daí, o City só administrou a vantagem e somou mais três pontos no Inglês.

FICHA TÉCNICA

MANCHESTER CITY 3 X 1 ARSENAL

Local: Etihad Stadium, em Manchester
Horário: 12h15 (de Brasília)
Árbitro: Michael Oliver
Cartões amarelos: Lacazette, Monreal, Koscielny, Xhaka, Özil e Alexis (Arsenal). Otamendi (Manchester City)
Cartões vermelhos: Não houve

Gols: De Bruyne, aos 19 minutos do primeiro tempo. Agüero, aos 5, Lacazette, aos 20, e Gabriel Jesus, aos 29 do segundo tempo.

MANCHESTER CITY: Ederson; Walker, Stones, Otamendi e Delph; Fernandinho, David Silva e De Bruyne; Sané (Bernardo Silva), Sterling (Gundogan) e Agüero (Gabriel Jesus). Técnico: Pep Guardiola

ARSENAL: Cech; Bellerín, Koscielny, Monreal e Kolasinac; Xhaka (Giroud), Coquelin (Lacazette), Ramsey, Özil e Iwobi (Wilshere); Alexis Sánchez. Técnico: Arsene Wenger.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos