Willian "ressurge" em grande estilo e força técnico do Chelsea a repensar

Do UOL, em São Paulo

Há poucos dias, a situação de Willian no Chelsea se deteriorava sob comando de Antonio Conte. O brasileiro vem sendo pouco aproveitado pelo treinador e experimentou o banco nos principais jogos da temporada, circunstância não muito usual para uma peça de confiança de Tite na seleção brasileira. Mas as condições do jogador podem melhorar após duas boas atuações, na última quarta-feira (22) e neste sábado (25).

No meio da semana, Willian foi o destaque da classificação do time londrino às oitavas de final da Liga dos Campeões. O Chelsea goleou o Qarabag por 4 a 0, no Azerbaijão, com o camisa 22 participando de todos os gols — marcou dois e sofreu dois pênaltis. Dias depois, ele entrou no clássico com o Liverpool a dez minutos do final e em seu primeiro lance empatou a partida com belo gol.

Divulgação/Chelsea FC

O desempenho pode fazer Willian ressurgir. Apesar da presença cativa na seleção brasileira, o meio-campista começou a temporada aquém do que dele se espera. Agora, tenta retomar o espaço perdido e aguarda mais oportunidades em sequência.

A situação torna-se delicada quando adicionado na conta o fator Antonio Conte. De acordo com parte da imprensa inglesa, a personalidade forte do treinador mais agita do que tranquiliza o ambiente no Chelsea, que já não é lá essas coisas. O clube vive turbulência desde que o diretor técnico Michael Emenalo pediu demissão no início de novembro, em uma escalada de incertezas que não garante nem a permanência do próprio Conte.

Willian confirma ter sido procurado há poucos meses pelo Manchester United, do qual José Mourinho é o treinador. O português foi o responsável por sua chegada ao Chelsea em 2013 e tem o brasileiro em alta conta. Mas o convite não teve resultado. "Primeiro temos que esperar para ver se o técnico (Conte) fica no clube para tomar uma decisão, porque ele quase saiu na metade do ano", disse uma pessoa próxima de Willian ao UOL Esporte, nesta semana. O futuro do meia, portanto, parece indefinido até segunda ordem.

O atleta tem contrato com o Chelsea até junho de 2020, tendo somado até aqui 35 gols em 201 partidas disputadas com a camisa azul. Antonio Conte, por sua vez, tem vínculo até metade de 2019.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos