Com show de Pogba, United vira sobre City e adia título do rival no Inglês

Caio Carrieri

Colaboração para o UOL, de Manchester

  • BEN STANSALL/AFP

    De cabelo azul, Pogba provoca torcida do City após marcar

    De cabelo azul, Pogba provoca torcida do City após marcar

Tudo parecia armado para a festa do título inglês do Manchester City. Com direito a mosaico e gritos de "olé" da torcida no Etihad Stadium, a equipe do técnico Josep Guardiola chegou a abrir 2 a 0 sobre o arquirrival Manchester United, mas levou a virada e foi derrotada por 3 a 2 neste sábado (7).

O resultado deixa os donos da casa com 84 pontos, contra 71 do time do treinador José Mourinho, com 18 pontos ainda em disputa para os dois na Premier League. O City, que se sagraria campeão em caso de triunfo no confronto direto, agora precisa de seis pontos para confirmar sem depender de resultados do rival. No próximo sábado, a equipe azul visita o Tottenham em Londres. No dia seguinte, o United recebe o lanterna West Bromwich.

Antes, porém, o time de Guardiola volta as atenções para a Liga dos Campeões. Nesta terça-feira, no mesmo Etihad Stadium, o time busca um milagre contra o Liverpool para manter vivo o sonho do inédito título continental. O jogo de ida foi vencido por 3 a 0 pelos Reds.

Jesus no banco, Danilo titular

Paul Ellis/AFP

A vantagem na tabela do Inglês era tamanha que Guardiola se deu ao luxo de poupar alguns jogadores no dérbi deste sábado que poderia definir o título. De olho no jogo de volta contra o Liverpool, o treinador sacou De Bruyne, Gabriel Jesus, Laporte e Walker. Sterling, Bernardo Silva, Danilo e Delph entraram no time. Outros dois brasileiros do elenco, Ederson e Fernandinho foram titulares como de costume. Agüero, recuperado de lesão, iniciou no banco. No United, as novidades de José Mourinho foram Bailly e Herrera, substitutos de Lindelof e Mata.

City dá "olé" no 1º tempo

Matt Dunham/AP

Contra o maior rival, a expectativa era de que o City tivesse trabalho para conquistar o título neste sábado. Não foi o que aconteceu no primeiro tempo. A equipe da casa dominou a ponto de a torcida ter ensaiado gritos de "olé" em vários momentos durante a etapa inicial. A vantagem de 2 a 0 foi aberta com gols de Kompany, aos 25 minutos, completando escanteio com forte cabeceio, e Gündogan, que girou com estilo para cima de Matic na área e bateu no canto de De Gea.

E poderia ter sido mais até o intervalo. Sterling perdeu ao menos três chances claras de gol, uma delas livre, da marca do pênalti. Gündogan também teve outra oportunidade, após belo lançamento de Fernandinho, mas cabeceou fraco. Isso sem citar que a arbitragem ignorou toque de mão de Young logo aos 5 minutos de jogo, que seria pênalti para o City. Não parecia, mas os erros fariam muita falta...

Pogba brilha e cala o Etihad

RUSSELL CHEYNE/REUTERS

Pode usar o clichê que quiser: "o jogo só acaba quando termina", "clássico é clássico", etc. Fato é que o segundo tempo parecia outro jogo, e o United, que não finalizou uma vez sequer durante todo o primeiro tempo e foi para o intervalo sob gritos de "é campeão" da torcida da casa, buscou a igualdade em menos de dez minutos.

Tudo graças a Pogba. O irreverente francês pintou o cabelo de azul, provavelmente não com a intenção de homenagear o City e seus torcedores, que o vaiavam bastante. Eles ficariam ainda mais na bronca quando o meia descontou aos 7 minutos, aproveitando lindo passe de peito, e deixou tudo igual aos 9, completando cruzamento de Sánchez. Na comemoração, Pogba botou a mão na orelha em tom provocador.

A festa foi vermelha   

LEE SMITH/Action Images via Reuters

A exemplo do que aconteceu contra o Liverpool na Champions, quando levou três gols em 30 minutos, o Manchester City também parece ter sofrido uma pane neste sábado. Fora um chute que passou perto da trave de Gündogan, o time pouco criava depois de ceder o empate. Já o United era outro e se lançava mais ao ataque. Foi premiado aos 23 minutos, quando Sánchez bateu falta e Smalling subiu mais alto para cabecear e vencer Ederson.

Guardiola foi para o tudo ou nada e mandou Jesus, De Bruyne e Agüero a campo. O argentino foi atingido pouco depois de entrar dentro da área, e o City pediu pênalti. A arbitragem não deu e o jogo esquentou, com faltas ríspidas. Fernandinho levou amarelo e está suspenso dos dois próximos jogos, podendo ficar fora da festa do título. Os donos da casa ainda tentaram a igualdade, na base do desespero, mas o United segurou a vantagem (com De Gea fazendo milagre em cabeçada de Agüero no fim e até bola na trave) e estragou a festa do maior rival.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos