Topo

Esporte


Manchester City atropela Chelsea, faz 6 a 0 e retoma liderança do Inglês

Carl Recine/Reuters
Sergio Aguero comemora seu gol contra o Chelsea Imagem: Carl Recine/Reuters

Do UOL, em São Paulo

2019-02-10T15:51:21

10/02/2019 15h51

O Manchester City retomou a liderança do Campeonato Inglês de maneira avassaladora neste domingo (10). Sem tomar conhecimento, atropelou e bateu o Chelsea por 6 a 0 no Etihad Stadium, em Manchester. Sterling (duas vezes), Agüero (três) e Gündogan anotaram os gols da goleada pela 26ª rodada do torneio em que praticamente um time jogou e o outro assistiu.

A equipe de Guardiola impôs uma intensidade muito alta e tinha 4 a 0 no placar já com 24 minutos de partida. Ao Chelsea, apático e vencido, restou apenas esperar pelo apito final para o vexame acabar.

Com o triunfo, o City chega aos 65 pontos e reassume a liderança da Premier League. Empatada com o Liverpool, que tem um jogo a menos, a equipe de Manchester tem dez gols a mais de saldo no critério de desempate. Os comandados de Sarri, por sua vez, permanecem na quinta colocação estacionados nos 50 pontos.

Os melhores: Sterling e Agüero comandam goleada

A humilhante goleada do City neste domingo foi comandada principalmente por Sterling e Agüero. O argentino, nem poderia ser diferente, anotou três gols na partida. Já Sterling abriu a contagem aos três minutos e foi muito perigoso com arrancadas pela esquerda. No segundo tempo, foi parado por Azpilicueta somente com falta e sofreu o pênalti convertido pelo camisa 10, e ainda teve tempo para fazer outro.

O pior: setor defensivo do Chelsea

Phil Noble/Reuters
Imagem: Phil Noble/Reuters

A atuação dos homens de defesa do Chelsea foi tão desastrosa que todos merecem o destaque negativo. Azpilicueta, David Luiz, Rüdiger, Kanté e Jorginho ficaram na roda para um City intenso e criativo e realçaram a diferença das equipes na partida. De um modo geral, ninguém do time de Londres sai ileso à goleada.

City começa em cima e Sterling marca

Em rápida cobrança de falta, De Bruyne aproveitou "cochilo" de Alonso para encontrar Bernardo Silva completamente livre pela direita. O português cruzou, a bola resvalou em David Luiz e sobrou livre para Sterling estufar as redes com apenas três minutos.

Agüero perde chance incrível, mas se redime com golaço

O ritmo das duas equipes estava realmente muito diferente. Prova disso, o City ganhava quase todas as divididas, sufocava a saída de bola adversária e só não ampliou aos sete porque Agüero perdeu uma chance inacreditável. Bernardo Silva girou como quis para cima de Jorginho dentro da área e devolveu a bola para o "miolo" com passe rasteiro. Sem marcação e embaixo da trave, o argentino mandou para fora.

A chance de se redimir, no entanto, logo veio. Pressionando a todo momento o rival atordoado, Agüero e Zinchenko ganharam dividida e o atacante resolveu arriscar da intermediária. Kepa até tocou a bola, mas o chute no ângulo terminou em golaço.

Chelsea não reage, falha feio e leva 3º

À medida que os atletas do Chelsea não reagiam ao jogo, os jogadores da equipe mandante apertavam e exploravam ainda mais. E não demorou para voltarem a marcar, novamente a partir de uma falha do time de Londres. Se Alonso vacilou no primeiro tento, aos 18 minutos Barkley tentou recuar de cabeça e errou feio. Agüero, então, aproveitou e fez o seu segundo no dia.

City não diminui e "mata o jogo" com 24 minutos

Os Citizens não abaixaram o ritmo nem mesmo com 3 a 0 no placar. Marcando em cima quando não tinha a bola, procurava ser agudo nas vezes que ia para o ataque. Desta forma, não demorou para simplesmente "matar o jogo" com 24 minutos. Sterling fez jogada pela esquerda, Rüdiger cortou e a bola se apresentou livre para Gündogan. O volante alemão bateu colocado e saiu para o abraço.

Primeiro tempo acaba em massacre

Parecia que apenas uma equipe tinha entrado para o duelo deste domingo. Enquanto o time de Guardiola impôs intensidade alta durante os 45 minutos iniciais, construiu jogadas e tirou proveito da apatia rival, o Chelsea olhava o massacre acontecer. E ele veio sob uma espécie de "conformismo". Sarri gritava, gesticulava a cada gol sofrido, mas o panorama não mudou e o City terminou o período de forma avassaladora.

Sterling sofre pênalti, Agüero volta a marcar

O camisa 7 fazia o "inferno" e ganhava praticamente todas de Azpilicueta. Em uma dessas, já na etapa final, foi derrubado dentro da área e o árbitro assinalou penalidade. Agüero cobrou com tranquilidade e fez o terceiro dele pouco antes de deixar o campo para a entrada de Gabriel Jesus.

Jesus entra e quase faz o seu

O brasileiro entrou no lugar do camisa 10 aos 19 minutos do segundo tempo. Diante de um jogo resolvido, Jesus correu bastante e tentou deixar o seu. A chance mais clara desperdiçada por ele foi quando recebeu passe de Sterling e tocou na saída de Kepa, que fez a defesa. Após o lance, o atacante reclamou de empurrão do compatriota David Luiz.

City põe na roda e Sterling faz mais um

Phil Noble/Reuters
Imagem: Phil Noble/Reuters

Nem com as substituições promovidas por Guardiola o City perdeu qualidade e diminuiu o ritmo. David Silva, que entrou no lugar de Fernandinho, deu lindo passe para Zinchenko na esquerda, que cruzou. Sterling completou e coroou a atuação de gala no confronto.

Ficha técnica

Manchester City 6 x 0 Chelsea

Local: Etihad Stadium, em Manchester (Inglaterra)
Data e horário: 10 de fevereiro de 2019, domingo, às 14h (de Brasília)
Árbitro: Mike Dean
Assistentes: Dan Robathan e Darren Cann
Cartões amarelos: Gündogan (Manchester City); Marcos Alonso e Jorginha (Chelsea)

Gols: Sterling, aos 3', Agüero, aos 12' e 18', e Gündogan, aos 24 minutos do primeiro tempo; Agüero, aos 10', e Sterling, aos 34 da etapa final.

MANCHESTER CITY: Ederson; Kyle Walker, John Stones e Laporte; Gündogan, Fernandinho (David Silva), De Bruyne (Mahrez) e Zinchenko; Bernardo Silva, Sterling e Agüero (Gabriel Jesus). Técnico: Pep Guardiola.

CHELSEA: Kepa; Azpilicueta, Rüdiger e David Luiz; Jorginho, Kanté, Barkley (Kovacic) e Marcos Alonso (Emerson); Pedro (Loftus-Cheek), Hazard e Higuaín. Técnico: Maurizio Sarri.

Rafael Reis comenta vitória do City contra o Chelsea

UOL Esporte

Mais Esporte