Em carta no site, Milan pede amor e diz que time tem pouca energia mental

Do UOL, em São Paulo

  • AP Photo/Antonio Calanni

    Gattuso, técnico do Milan

    Gattuso, técnico do Milan

O Milan lançou uma carta editorial em seu site para pedir calma para a sua torcida, que passou a disparar contra tudo e todos após a derrota do último sábado para o Atalanta, por 2 a 0, em pleno San Siro.

O time está agora na 11ª colocação, com 24 pontos, muito atrás do Napoli, o líder, que tem 45. A Roma, primeira na zona de classificação à Liga, tem 38.

"O clube sabe de toda a tristeza dos torcedores. Depois do 2 a 0 para o Atalanta, só nos resta entender, encarar e abaixar a cabeça para trabalhar com muita força. A derrota foi diferente da que tivemos para o Verona e é parecida com outras de outros momentos da temporada, como contra a Roma e a Juventus. Primeiras oportunidades para o Milan e nenhum gol. Primeira para o adversário e gol", lamentou o time em comunicado.

"Enfrentar as derrotas não é a melhor coisa do mundo. Mas o mais urgente é entender as regras do que as exceções. Nesta temporada, outros times tem tido problemas. E o Milan também tem componentes midiáticos, nas ruas, da opinião pública. A equipe parece frágil por causa disso, parece fraca, com pouca energia mental. O sentimento de hoje precisa ser o de amor pelo Milan", completou.

Depois da derrota, o técnico e ídolo da equipe italiana, Gennaro Gattuso, afirmou que é o principal responsável por tudo e disse que não pedirá demissão.

No próximo sábado (30), o Milan fecha o primeiro turno do Campeonato Italiano contra a Fiorentina. Depois volta a jogar só em 2018, no dia 6 de janeiro, contra o Crotone.

"O Milan precisa de amor. Ter a razão? Buscar as falhas? Como já percebemos não serve e nem melhora as coisas. É muito importante, útil e produtivo dar força para o plantel. As porradas ou os choques ajudam pouco em um plantel com receio. Uma mudança para amor e paciência podem fazer muito mais", diz o clube ainda no mesmo editorial.

"Às vezes, um jogo pode ser uma notícia por si só. O mundo não se acaba, tem outro dia para seguir. Outra noite. É difícil, mas não impossível. Uma grande partida e uma grande imagem: todos juntos no vestiário. Sentimos falta e queremos isso com todas as nossas forças", finalizou.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos