UOL Esporte Libertadores
 
18/06/2009 - 07h02

Má fase e sina recente contra brasileiros desafiam São Paulo e Cruzeiro

Carlos Padeiro
Em São Paulo
Nesta quinta-feira, a partir das 22h, São Paulo e Cruzeiro definem no estádio do Morumbi qual será a segunda equipe a representar o futebol brasileiro nas semifinais da Copa Libertadores. Para se classificar, o clube mineiro joga por um empate, enquanto o paulista precisa vencer por 1 a 0 ou por dois gols de diferença - uma vitória por 2 a 1 leva a disputa para os pênaltis.

TROPEÇOS RECENTES DE SÃO PAULO E CRUZEIRO CONTRA BRASILEIROS
AP
Hoje no Morumbi, Washington foi o carrasco do São Paulo em 2008, pelo Fluminense
Arquivo/Folha Imagem
Na Copa Libertadores de 2001, o Cruzeiro foi eliminado pelo Palmeiras no Mineirão
FRACASSOS DO SÃO PAULO
2006 - Internacional (final)
2007 - Grêmio (oitavas)
2008 - Fluminense (quartas)
FRACASSOS DO CRUZEIRO
1998 - Vasco (oitavas)
2001 - Palmeiras (quartas)
CRUZEIRENSES PEDEM AJUDA AO MP
SP ESTÁ MENOS PIOR, DIZ HERNANES
MORUMBI ESTARÁ LOTADO
CRUZEIRO QUER ESQUECER RAMIRES
LEIA MAIS SOBRE O SÃO PAULO
LEIA MAIS SOBRE O CRUZEIRO
A eliminação no torneio continental pode resultar em uma crise para qualquer um dos lados. Isso porque os dois times não iniciaram bem o Campeonato Brasileiro - somaram sete pontos em seis rodadas.

Além da má fase, São Paulo e Cruzeiro desafiam um retrospecto negativo recente. Nos últimos confrontos de ida e volta com rivais brasileiros pela Libertadores, o clube tricolor sucumbiu três vezes, e o celeste, duas.

Já sob o comando do técnico Muricy Ramalho, o São Paulo perdeu a final para o Internacional em 2006, as oitavas para o Grêmio no ano seguinte e as quartas para o Fluminense na Libertadores passada. O Cruzeiro caiu diante de Vasco, em 1998, e Palmeiras, em 2001.

"É o jogo da redenção para nós ou para eles", decretou o são-paulino Hernanes. "O jogo lá [2 a 1 para o Cruzeiro, no Mineirão] teve um resultado normal e ainda não acabou. São 180 minutos, e acredito que estaremos mais amadurecidos para encarar este jogo."

"No Brasileiro a gente está com retrospecto ruim [fora de casa], mas na Libertadores vencemos duas, empatamos uma e perdemos uma. São competições diferentes, temos de entrar focados e com responsabilidade para passar à outra fase", observou o cruzeirense Leonardo Silva.

Pelo menos, o histórico diante de times brasileiros no torneio internacional é favorável para ambos. Em 31 partidas, o São Paulo ganhou 12, empatou 12 e perdeu sete. Já o Cruzeiro ganhou oito vezes, empatou cinco e perdeu quatro.

Muricy deve adotar o 4-4-2 para buscar a vaga e afastar a possibilidade de perder o emprego no Morumbi.

"Já jogamos com as duas formações [4-4-2 e 3-5-2]. Não será segredo para a gente. Independente de quem entrar, todo mundo já mostrou que tem potencial", ponderou o volante Eduardo Costa, que provavelmente formará o meio-campo com Jean, Hernanes e Marlos.

O Cruzeiro está em São Paulo desde o último final de semana, quando perdeu para o Palmeiras por 3 a 1. Adilson Batista conta com cinco reforços em relação a este último duelo: Thiago Heleno, Fabrício, Wagner não atuaram por desgaste físico, e Gérson Magrão e Kléber cumpriram suspensão.

O treinador adotou mistério nos treinos realizados em Atibaia. "Quanto mais a gente não der a opção para o adversário melhor, pois o São Paulo terá de pensar mais como chegar para o jogo", opinou o meia Wagner.

SÃO PAULO X CRUZEIRO

Data: 18/06/2009 (quinta-feira)
Horário: às 22h (de Brasília)
Local: estádio do Morumbi, em São Paulo
Transmissão na TV: Sportv
Árbitro: Sergio Pezzota (ARG)
Auxiliares: Roberto Reta e Diego Romero (ambos da ARG)

SÃO PAULO
Denis; Zé Luis, André Dias, Renato Silva e Junior Cesar; Eduardo Costa, Jean, Hernanes e Marlos; Borges e Washington
Técnico: Muricy Ramalho

CRUZEIRO
Fábio; Jonathan, Leonardo Silva, Thiago Heleno e Gérson Magrão; Henrique, Fabrício, Marquinhos Paraná e Wagner; Wellington Paulista (Zé Carlos) e Kléber
Técnico: Adilson Batista

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host