UOL Esporte Libertadores
 
11/02/2010 - 14h28

Atacante Edu vê vantagem do Inter na Libertadores com manutenção da base

Jeremias Wernek
Em Porto Alegre

Uma Libertadores que tem os representantes brasileiros apontados como favoritos disparados. O cenário é de equilibrio entre os clubes, mas uma pequena vantagem pode ser computada na conta do Internacional. Pelo menos para o atacante Edu, que comemora a manutenção da base do Inter em relação ao time que ficou em segundo lugar no Campeonato Brasileiro do ano passado.

“O fato de você manter a base é importante pelo entrosamento dos jogadores. Claro que teve a troca da comissão técnica, mas temos que mostrar dentro de campo, fazer valer esse favoritismo e os elogios ao nosso grupo”, disse o jogador. A referência é por que a única posição com diferença de nomes no Inter de Jorge Fossati, comparando ao time que jogou boa parte do Brasileirão do ano passado, é a lateral-direita.

Em 2009, Bolívar e Danilo Silva se revezaram na ingrata função de jogar onde não sabiam. Com Fossati não será assim. A direção buscou sanar o problema com a contratação de dois jogadores da posição: Bruno Silva e Nei. De resto, o Internacional é o mesmo. De Lauro a Alecsandro. Com acréscimos para o grupo, como Kleber Pereira, Eltinho, Thiago Humberto e Wilson Mathias. No entanto, os contratados ainda precisam correr para ganhar um lugar entre os 11.

Comparando o time do Inter com os rivais brasileiros na luta pelo título da Libertadores é possível confirmar a teoria do jogador ex-Bétis. O Corinthians contratou bastante. O São Paulo fez a mesma coisa. No Cruzeiro, uma base mantida a trancos e barrancos. Já o Flamengo, campeão brasileiro, igualmente agregou valores.

Algo que vem junto com a manutenção de uma base é a sequência de um entrosamento. Fator tão citado por titulares do Inter neste começo de temporada. O grupo principal atuou apenas quatro vezes no ano, diante de Juventude, Grêmio, Novo Hamburgo e Avenida, e mesmo assim não saiu derrotado.

Contra o Esportivo, no sábado, Jorge Fossati deve testar mais alguns jogadores para fechar a lista daqueles que serão inscritos na Libertadores da América. Kleber Pereira, recém integrado ao grupo principal, deve começar no banco de reservas. Índio, Fabiano Eller, Guiñazu e D'Alessandro são os desfalques. Glaydson ocupará a vaga do capitão e Sorondo entra na zaga, mantendo o esquema 3-5-2.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host