UOL Esporte Libertadores
 
19/03/2010 - 01h09

São Paulo minimiza atraso no bicho e nega atrito com presidente

Bruno Thadeu
Em São Paulo
  • São Paulo não teve dificuldade para superar o Nacional, vencendo por 3 a 0, no Morumbi

    São Paulo não teve dificuldade para superar o Nacional, vencendo por 3 a 0, no Morumbi

As críticas feitas na semana passada pelo presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, que reprovou a performance do time no êxito contra o Nacional, no Paraguai, ainda não foram digeridas pelo elenco. Os jogadores se esquivaram sobre um suposto atraso no pagamento de bonificação pela vitória em Assunção, mas reconheceram que algo ainda precisa ser acertado com a diretoria.

Esse “algo” é o bicho da vitória no Paraguai. Sobraram respostas evasivas nesta quinta após o êxito por 3 a 0, no Morumbi, quando os atletas foram indagados sobre a pendência financeira.

“Ele [Juvenal] é quem manda no time. Ele escolhe o que faz. Está no direito dele. Independentemente de ter bicho ou não, somos pagos para isso. Lógico que isso [bicho] tem uma força a mais. Mas a galera aqui no São Paulo é muito tranquila. Não tem problema”, contornou Dagoberto.

Capitão da equipe, Rogério Ceni argumenta que eventuais atrasos na bonificação dos atletas não trazem qualquer influência negativa no elenco. Bem humorado, o goleiro evitou confirmar o atraso no bicho, frisando que ainda não verificou o saldo na conta bancária.

O SÃO PAULO NO TWITTER

“Sinceramente, eu nem vi se entrou o dinheiro na conta. Premiação não é problema. E se não entrou, não tem problema, porque eu sei que um dia vai cair. Sempre foi assim aqui no São Paulo. Se tiver que esperar três meses, Vou esperar tranquilamente”.

As críticas feitas pelo presidente de que o time “venceu, mas não convenceu” no Paraguai foram rebatidas por Miranda. O zagueiro respondeu que em Libertadores o “bonito é vencer”, exaltando o triunfo por 2 a 0 fora de casa.
 

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host