UOL Esporte Libertadores
 
08/04/2010 - 20h03

Álvaro culpa 'ofensividade' do Fla por empate, mas Andrade discorda

Cauê Rademaker
No Rio de Janeiro

Álvaro e Andrade foram os representantes do Flamengo que concederam entrevista coletiva após o empate por 2 a 2 diante da Universidad do Chile, na tarde desta quinta-feira, no Maracanã. No entanto, ambos apresentaram visões diferentes para o gol sofrido nos acréscimos da partida.

OPINIÃO DOS BLOGUEIROS DO UOL

"Preocupante. Agora foi a vez do deus dos estádios mostrar que não anda de bem com o Maracanã."
"Agora, vale uma pergunta: até que ponto esse mau resultado poderá influir psicologicamente os jogadores Flamengo no clássico contra o Vasco?"

O defensor atribuiu o empate cedido à falta de espírito de Libertadores da equipe. Para ele, alguns jogadores ainda estavam preocupados em atacar o time chileno, em vez de segurar o triunfo por 2 a 1, que daria a liderança da chave à equipe.

“O segundo gol que levamos, nos acréscimos, não pode acontecer da forma que foi. Tinha gente nossa no ataque. Essa hora tem de estar todo mundo atrás da linha da bola. Tem de parar o jogo. Libertadores é isso”, disse o zagueiro, que prosseguiu:

“Em partidas assim temos de acender a ‘chispa’ desde o início. Só acordamos no segundo tempo, mas, com 2 a 1 a favor, todo mundo tinha de voltar e o pessoal do banco devia ter avisado que o jogo tinha acabado”, completou Álvaro.

Já Andrade preferiu não polemizar com seu jogador, mas deixou claro que a hora não era de procurar culpados pelo empate. Para ele, o elenco devia assimilar o mau resultado, sem “inventar desculpas”.

O FLAMENGO NO TWITTER

“Depois do gol tomado, você vai achar mil coisas que poderia ter feito diferente. Temos um time com jogadores experientes dentro de campo. O árbitro já tinha levantado a placa do acréscimo, todos sabiam que o jogo estava acabando”, disse o treinador.

“Tínhamos o jogo na mão, ma não podemos ficar lamentando. Temos de assumir a responsabilidade, e não inventar desculpa”, afirmou Andrade.

Para ele, o Flamengo foi pouco eficiente no primeiro tempo, sem ameaçar a meta chilena. Por conta disso, colocou Bruno Mezenga em campo, no intervalo, na vaga de Kleberson, e elogiou a participação do centroavante.

“Não finalizamos no primeiro tempo, mas no segundo, com o Mezenga, criamos oportunidades, mandamos bola na trave, tivemos pênaltis não marcados e viramos o jogo. Poderíamos estar com a classificação garantida, mas tivemos um descuido, uma desatenção, e fomos castigados”, finalizou o treinador.

O Flamengo segue em segundo lugar no Grupo 8, agora com sete pontos, enquanto a Universidad do Chile lidera com oito pontos. Na próxima quarta-feira, o time rubro-negro encara a Universidad Catolica, em Santiago. Já na terça-feira os líderes da chave encaram o lanterna Caracas, na Venezuela.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host