UOL Esporte Libertadores
 
06/05/2010 - 18h22

Emocionado, Ronaldo diz jogar com dores, nega apoio ao Fla e vê perseguição

Alexandre Sinato e Bruno Thadeu
Em São Paulo
  • Sem esconder a tristeza pela eliminação, Ronaldo diz que se sente perseguido por hostilidades

    Sem esconder a tristeza pela eliminação, Ronaldo diz que se sente perseguido por hostilidades

Ronaldo foi o jogador escolhido para conceder a primeira entrevista coletiva pós-eliminação do Corinthians na Libertadores. E nos 25 minutos de conversa, ele se emocionou ao ser questionado sobre falta de comprometimento, falou que joga com dores e negou que vá torcer pelo Flamengo no restante do torneio continental. O atacante ainda voltou a dizer que se sente perseguido.

A pergunta que mais mexeu com Ronaldo sugeriu sua falta de comprometimento no empenho físico. O Fenômeno alegou que está entre os dez jogadores que mais treinaram no ano, segundo a preparação física, e logo em seguida desabafou.

“Tenho 33 anos, tenho oito operações no corpo e muitas dores. E tenho que ouvir esse tipo de pergunta sobre comprometimento. O povo está comigo. O corintiano está comigo”, disse o camisa 9, recorrendo à torcida alvinegra.

UM LOUCO APAIXONADO

A cada dia que passa eu sou mais apaixonado pelo Corinthians. Meu amor cresce a cada dia, a cada manifestação da torcida, a cada titulo, a cada derrota. Me identifico com esse clube.

Ronaldo

O restante da entrevista coletiva teve um tom ameno. Ronaldo reforçou a tristeza pela eliminação diante do Flamengo, comentou que dormiu pouco após a insuficiente vitória por 2 a 1 na última quarta-feira e reforçou o agradecimento ao apoio da torcida durante os 90 minutos.

O atacante ainda disse que o fato de a queda ter sido diante do Flamengo, seu time de coração, não aumentou a dor. E negou que irá torcer pela equipe rubro-negra no restante do mata-mata da Libertadores.

“Eu sou corintiano e admirador do futebol, acompanho futebol. Não tenho preferência por nenhum outro clube que não seja o Corinthians”, respondeu Ronaldo.

Não doeu mais ou menos [perder para o Flamengo]. Se fosse contra o Íbis seria a mesma dor

Ronaldo, que afirma ser ex-torcedor do Flamengo

Alvo de críticas e provocações no confronto de ida com o Flamengo, no Maracanã, o camisa 9 disse se sentir perseguido. No Rio de Janeiro, ele foi hostilizado de diferentes maneiras, viu a torcida carioca relembrar o episódio envolvendo travestis e ouviu gritos de traidor.

“Nós estamos muito atrasados em comportamento no Brasil. Até mesmo as chacotas podem ser engraçadas, mas são muito ofensivas, direcionadas. Tenho grande admiração pelos Estados Unidos, porque lá o ídolo realmente é um ídolo, quase intocável”, comparou.

“Lá, falam do Michael Jordan quase como um deus na Terra. Não pretendo isso para mim no Brasil, mas sim o respeito pela carreira do atleta, que na maioria das vezes é sofrida”, emendou o atacante.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host