UOL Esporte Libertadores
 
06/05/2010 - 02h10

Gobbi é 'colado na parede' por torcedor, mas saída corintiana é tranquila

Alexandre Sinato
Em São Paulo

A maioria da torcida aplaudiu o Corinthians após a eliminação diante do Flamengo, mas o presidente Andrés Sanchez e o diretor de futebol Mário Gobbi sentiram a insatisfação dos alvinegros. Gobbi foi quem enfrentou a cobrança mais ríspida. Foi encostado na parede por um torcedor, mas contornou a situação com a ajuda de seguranças. A delegação, por sua vez, deixou o Pacaembu sem grandes problemas.

Gobbi foi hostilizado por um torcedor conhecido no clube. Não à toa, ele teve acesso à área reservada para a saída de jogadores, local que geralmente recebe apenas jornalistas, conselheiros e convidados de dirigentes alvinegros.

Com a ajuda dos seguranças do Corinthians e observado de perto por dois policiais militares, Gobbi tentou conversar. O torcedor foi criticado por outros corintianos, que ajudaram a evitar consequências piores. Transtornado, o torcedor socou a parede, inconformado com a eliminação corintiana.

O presidente Andrés Sanchez também foi cobrado, mas por uma minoria. “Alguns torcedores me xingaram e entendo essa revolta, mas todos têm que saber que somos corintianos e passamos por momentos bons e ruins. Agora o momento é ruim, mas nada é tão caótico como foi a queda para a segunda divisão. Precisamos nos unir”, disse o mandatário.

Os jogadores foram embora principalmente em carros particulares e ouviram poucos protestos. Cenário bem diferente de derrotas marcantes anteriores, quando havia seguidas tentativas de invasão de vestiário.

Para evitar tais transtornos, a entrada de pessoas no vestiário corintiano foi bastante controlada. Jornalistas precisaram dar uma volta pelo ginásio do Pacaembu para ter acesso à sala de entrevistas. Pouco depois, no entanto, os torcedores “conhecidos” puderam entrar normalmente, como sempre acontece. E nesta noite, tal atitude deu trabalho aos dirigentes.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host