UOL Esporte Libertadores
 
05/08/2010 - 08h21

Inter precisa estar preparado e tudo pode acontecer, avisa Celso Roth

Jeremias Wernek
Em Porto Alegre

Serão 90 minutos, dois tempos para definir o futuro de Inter e São Paulo na Copa Libertadores. Jogando pelo empate, o time gaúcho sabe que poderá ser pressionado e trabalhou durante os últimos dias para controlar o adversário. No entanto, o clube precisa estar preparado para um possível revés, situação que em outros momentos causou a demissão exatamente daquele que pede atenção.

“Estamos em um jogo e tudo pode acontecer. Tem que estar preparado para todas as situações. Classificação ou não”, disse o técnico Celso Roth, contratado em meio à parada para a Copa do Mundo, sucedendo o uruguaio Jorge Fossati, que havia chegado em janeiro, com toda sua comissão técnica.

Mesmo cauteloso, Roth preferiu repassar os questionamentos a cúpula vermelha. “Há quantos dias estou no Internacional? Estou aqui desde 15 de junho. Não posso responder isso, essa pergunta tem que ser feita para a direção”, apontou o treinador.

“Se acontecer [a eliminação], a vida continua. Ninguém vai morrer por isso”, destacou Celso Roth. O treinador teve pouco mais de vinte dias antes de sua reestreia no Inter, contra o Guarani. De lá para cá, a equipe se solidificou, ingressou no G-4 do Brasileirão e largou em vantagem nas semifinais da Libertadores, diante do São Paulo.

 

Contando com o retorno de Tinga, Roth quer um time capaz de se controlar, tendo atitude e não ficando somente no campo de defesa dentro do estádio do Morumbi. “Nós que temos que ter a atitude, o contraveneno, a saída”, comentou.

“Temos que tentar vencer o São Paulo lá, vai ser outro jogo”, comentou o volante Sandro. “Todos estão esperando esse jogo. É preciso ir passo a passo e ter atenção”, acrescentou o zagueiro Índio.
 

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host