UOL Esporte Libertadores
 
11/08/2010 - 10h05

Mais gaúcho do que no título de 2006, Inter defende 'sua terra' no México

Do UOL Esporte
Em Porto Alegre

Um clube gigante, mas ligado ao seu estado. O Internacional chega para mais uma final de Copa Libertadores contando com três legítimos representantes do Rio Grande do Sul em campo. Número semelhante ao de 2006, mas que é superado se contarmos com Tinga, titular que está suspenso e dá lugar para o curitibano Giuliano. No grupo inscrito também estão mais gaúchos do que há quatro anos.

“A gente sabe que o estilo gaúcho é muito agressivo, com marcação forte. Juntando com a qualidade que nosso time tem é muito importante”, analisou o capitão Bolívar, nascido em Santa Cruz do Sul, cidade que fica a 150 quilômetros de Porto Alegre. “Estamos defendendo nossa terra”, acrescentou.

Além do defensor, o goleiro Renan e o atacante Taison também nasceram no estado. No elenco, o goleiro Muriel, o zagueiro Ronaldo Conceição e o atacante Rafael Sóbis completam a lista dos gaúchos.

Em 2006, o mesmo Bolívar fazia parte do seleto grupo dos nascidos no estado sede do Internacional. Com ele estavam Renan, Rafael Sóbis, Tinga e o terceiro goleiro Marcelo Boeck.

Mais uma diferença neste quesito está no banco de reservas. Desta vez o comando é de Celso Roth, nascido em Caxias do Sul. Na conquista diante do São Paulo o treinador era o carioca Abel Braga.

Juntando as campanhas de Inter e Grêmio, o Rio Grande do Sul chega a sua sétima final de Copa Libertadores. Quatro com os tricolores (1983, 1984, 1995 e 2007) e três com os colorados (1980, 2006 e 2010).

Chivas e Inter começam a decidir a Copa Libertadores nesta quarta-feira, a partir das 21h50min, no estádio Omnilife, em Guadalajara. O segundo jogo acontece no dia 18, no mesmo horário, no estádio Beira-Rio.
 

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host