UOL Esporte Libertadores
 
17/08/2010 - 19h15

Zagueiro Bolívar quer bi da América para acabar com 'chacota' de gremistas

Jeremias Wernek
Em Porto Alegre

Até 2006, os torcedores do Inter precisavam ouvir calados as piadas dos rivais sobre a Copa Libertadores. Nos últimos anos, as discussões se equilibraram um pouco mais, porém o segundo título continental colorado, que pode acontecer com um empate nesta quarta-feira, diante do Chivas vai colocar fim a chacota dos gremistas. É o que garante o zagueiro e capitão do time, Bolívar.

“A gente costuma escutar isso de porteiros do prédio. Isso é muito comum, ainda mais aqui. Essa cobrança e rivalidade existem mesmo. Os torcedores esperam mesmo por isso”, comentou o jogador, na véspera da decisão. “Vai ser algo para acabar com essa chacota. Esperamos poder concretizar isso, com respeito ao adversário”, completou Bolívar.

O zagueiro, no entanto, tem uma história curiosa. Sua carreira profissional começou exatamente nas categorias de base do Grêmio. Mas a consolidação do histórico vitorioso veio no Beira-Rio. Vitorioso há quatro anos, Bolívar não esconde que deseja muito a segunda taça.

“A gente sabe que estamos em um caminho muito importante. Quem não ganhou quer. Eu já ganhei e quero de novo. Isso te consagra para sempre”, disse após o último treino do Internacional na véspera de sua terceira final de Libertadores.

Em 2006, Bolívar era titular, mas assistiu de baixo o momento em que Fernandão ergueu o troféu. Agora, o jogador espera repetir o feito, mas contando com a ajuda dos companheiros. “Depois de feito e sacramentado com o placar favorável, aí não tem. Estarei com meus companheiros levantando o troféu”, apontou. “É um momento que você entra para a história. Estamos todos cientes disso”, completou.

O Inter, em vantagem para a final – pois venceu por 2 a 1 em Guadalajara, terá todos os titulares em campo na segunda partida diante do Chivas. O técnico Celso Roth pode trabalhar normalmente nesta terça-feira com Sandro, Guiñazu, Tinga e Alecsandro. O quarteto era dúvida por problemas musculares contraídos na última semana.

A escalação do Inter para esta quarta-feira, no entanto, terá um nome diferente da partida no México. Giuliano dá espaço para Tinga, que estava suspenso. O time: Renan; Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Sandro, Guiñazu, Tinga, D’Alessandro e Taison; Alecsandro.
 

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host