UOL Esporte Libertadores
 
Alexandre Lops/AI Inter

Com 56 mil lugares, Beira-Rio não comporta os mais de 100 mil sócios do Inter

18/08/2010 - 08h11

Corrida por ingressos movimenta mercado paralelo antes de final no Beira-Rio

Daniel Cassol
Em Porto Alegre

A corrida pelos escassos ingressos para a decisão da Libertadores está movimentando um mercado paralelo entre torcedores do Inter. Na internet, sócios do clube ‘alugam’ suas carteiras por cerca de 500 reais cada, ou até mais. A prática é desautorizada pelo Inter, gera polêmica entre os próprios torcedores mas vira alternativa para quem ficou de fora da final.

O Inter vem enfrentando o mesmo problema em grandes decisões, como a final da Copa Sul-Americana de 2008 e a semifinal da atual Libertadores contra o São Paulo. São cerca de 108 mil sócios para um estádio com capacidade de 56 mil pessoas. Dos sócios, mais de 35 mil têm o acesso liberado ao Beira-Rio – são torcedores que se associaram antes da campanha de sócios pós-título Mundial.

Para a final desta quarta, o Inter colocou à venda pouco mais de dez mil ingressos, disputados pelos outros 60 mil sócios que precisam comprar suas entradas. A procura foi tanta na semana passada que derrubou os sistemas de venda. O Inter ainda disponibilizou uma lista de espera para outros 1,5 mil colorados.

Na comunidade do Inter no Orkut, era intensa nesta terça-feira a oferta de ingressos para a decisão. O usuário Felipe oferecia sua carteira por R$ 500. Pelo mesmo valor, Daniel oferecia carteira que dava acesso às cadeiras do Beira-Rio. “É um preço mais do que justo para alguém que paga mensalidades de sócio há mais de 15 anos, enquanto uns só querem ir na hora boa e pagar barato”, explicava o torcedor.

Dois ingressos para arquibancada inferior na mão de Rafael estavam valendo R$ 750. Um outro colorado chegou a pedir R$ 1,6 mil pelo aluguel de quatro carteiras de sócio. Houve quem alegasse que estava juntando dinheiro para financiar à viagem para Abu-Dhabi, onde o Inter disputa o Mundial Interclubes no final do ano. Enquanto um torcedor oferecia sua carteira de sócio a R$ 600, “de frente para o palco”, outro disse que pagava até R$ 1,2 mil por três ingressos para o mesmo setor. O ‘aluguel’ de carteiras de sócio gerou revolta entre alguns colorados, que ameaçavam denunciar os ‘cambistas’ à central de sócios do Internacional.

Ao UOL Esporte, o colorado Ciro explicou porque estava querendo negociar sua carteirinha de sócios. “Eu vou no jogo, mas nas cadeiras com a minha família, e estou alugando a minha de sócio pra levantar uma grana”, afirmou.

O estatuto do Inter diz que a qualidade de sócio é intransferível. Na prática, porém, o clube acaba não conseguindo coibir a troca e venda de carteiras. Diante da intensa movimentação de público, os funcionários do Inter não pedem identificação dos torcedores, que podem entrar no Beira-Rio com carteiras de outras pessoas.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host