UOL Esporte Libertadores
 
Alexandre Lops/Inter

Assim como em 2006, atacante carregou enorme bandeira na festa da vitória

19/08/2010 - 08h16

Rafael Sóbis repete 2006 e 'renasce' com gol que encaminhou título da Libertadores

Do UOL Esporte
Em Porto Alegre

Até para quem acredita em destino, escrita ou predestinação, o roteiro foi perfeito demais. Herói do primeiro título de Libertadores do Inter, Rafael Sóbis voltou ao seu clube do coração depois de quatro anos para ser de novo decisivo no bi. Custou, mas numa repetição quase ideal de 2006, o atacante fez o gol de empate contra o Chivas e “renasceu” para o futebol.

“O Alecsandro nunca tinha se machucado. Infelizmente, se machucou. Eu vi como uma oportunidade, me preparei bem desde terça”, contou Sóbis ao final da partida.

Grande contratação do Inter para a reta final da Libertadores, Sóbis chegou ao Beira-Rio após dois anos no pouco competitivo futebol árabe e se recuperando de duas cirurgias no joelho. Aos 25 anos, o herói colorado na conquista da América em 2006 não conseguiu recuperar ritmo de jogo mas, mesmo sem a melhor forma, fez o gol que encaminhou o bicampeonato.

Sóbis só começou como titular contra o Chivas no Beira-Rio porque Alecsandro não havia se recuperado da lesão muscular sofrida em Guadalajara. Em campo, com a camiseta 23, o jogador se esforçava, mas faltava velocidade e cacoete para jogar como centroavante.

Aos 16 minutos do segundo tempo, quando o Inter perdia por 1 a 0, Rafael Sóbis recebeu cruzamento de Kleber e se antecipou ao goleiro Luis Michel, com quem se chocou enquanto a bola cruzava a linha do gol. O Inter empatava a partida, retomava o controle e encaminhava a vitória.

“Dei essa sorte, essa estrela. Tudo de bom aconteceu para mim. Mais uma vez um gol, num momento muito difícil. Depois dali, crescemos. Não sei o que é, mas estou feliz da vida”, disse o jogador, à Rádio Gaúcha.

Retomada na carreira

Nabor Goulart/Freelancer
Tenho muito tempo pela frente e quero muito mais

Rafael Sóbis, atacante do Inter

Há muito de parecido com o ocorrido há quatro anos. Contra o São Paulo, no Morumbi, a então revelação colorada fez os dois gols da vitória que pôs o Inter em vantagem. No Beira-Rio, não marcou, mas participou da jogada do segundo gol. Na festa do título, Sóbis inflamou a torcida correndo de um lado a outro do gramado com uma enorme bandeira vermelha, gesto repetido após a decisão desta quarta-feira.

A comemoração do gol é que foi diferente. Em vez de correr com o braço direito erguido e o olhar firme, como fez em 2006, Sóbis apenas juntou as mãos e contemplou o que acontecia, certamente sabendo o que o futebol havia lhe reservado.

Aos 25 anos, Sóbis começa a recuperar o bom futebol que o consagrou em 2006 e o levou ao Betis, da Espanha. “O simples fato de fazer um gol me dá mais confiança”, admite. “Muita gente acha que eu tenho 30 anos. Mas tenho muito tempo pela frente e quero muito mais”, promete.

Ao contrário de 2006, quando deixou o Inter após a Libertadores, Sóbis tem a oportunidade de disputar o Mundial Interclubes em dezembro. O torneio acontecerá no estádio do seu ex-clube, o Al-Jazira, com o qual ainda tem contrato. “Estou feliz em saber que ainda tenho muito para dar”, comemorou.
 

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host