Topo

Libertadores - 2019


Luis Fabiano apoia punição dada pela Conmebol, mas cobra organização da Libertadores

Ricardo Nogueira/Folhapress
Luis Fabiano comemora seu primeiro gol na partida contra o São Caetano Imagem: Ricardo Nogueira/Folhapress

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

2013-02-26T13:30:17

26/02/2013 13h30

O são-paulino ama a Libertadores e trata a competição diferente do que faz com todas as outras que vê seu time disputar. Nem por isso, o torneio tem todas as condições ideais, explica Luis Fabiano. O camisa 9 pediu uma melhor organização por parte dos dirigentes que cuidam da disputa internacional e ainda afirmou que o episódio da morte do torcedor no jogo do Corinthians não pode passar sem punição.

Apesar disso, o jogador disse que todas essas confusões não tiram a importância do São Paulo ir bem na busca pelo tetracampeonato.

TV BANDEIRANTES: L. Fabiano sobre tragédia: "Não pode passar sem punição"


"É uma grande competição. Lógico que às vezes falta uma organização, às vezes as leis são confusas, as punições são confusas, não sabemos se vai ter ou não punição. Mas pelo fato de ser uma competição importante, acho que teria que ter uma organização melhor e uma segurança maior. Mas isso aí cabe a outras pessoas reverem para tentar melhorar de alguma maneira. Em certas situações, a Libertadores deixa a desejar", disse ele em coletiva de imprensa.

Depois, em entrevista para a TV Bandeirantes, ele reafirmou a importância da competição para ele e para o São Paulo, mas reiterou que não há como o Corinthians escapar sem punição deste episódio.

"É lamentável para o espetáculo, faz parte, temos que acatar. Não foi uma brincadeira, foi uma morte de um garoto e isso não pode passar sem punição", disse à TV Bandeirantes.

Nesta terça-feira, a Conmebol confirmou que o jogo desta quarta-feira, entre Corinthians e Millonarios, acontecerá sem nenhum torcedor dentro do estádio. Luis Fabiano admitiu que isso pode desmotivar os jogadores, mas ele acredita que o time de Tite não perderá muita força na busca pelo bicampeonato.

"Acho que o Corinthians não fica fraco, porque no futebol tudo se decide dentro de campo, com ou sem pressão da torcida. Tudo acontece dentro de campo. Mas, para o jogador, a motivação é diferente. É triste estar em um estádio vazio. Mesmo que seja em Libertadores ou no Paulista, não é a mesma coisa. Pode até refletir dentro de campo, mas o Corinthians vai ser forte com ou sem torcida e vai querer o bi da Libertadores", finalizou.