Um outro olhar sobre o vexame do São Paulo no Pacaembu

Do UOL, em São Paulo

O entardecer logo no início do jogo entre São Paulo e The Strongest, no Pacaembu, estava lindo, como vários outros lindos entardeceres que já brilharam por aí. As redes sociais, claro, foram bombardeadas por imagens de mais um belo pôr do sol de nosso planetinha (sempre são). Também registramos, aqui da redação, essa luz inspiradora.

Vinicius Mesquita/UOL

Mas não está fácil para ninguém. Nem mesmo o entardecer inspirador foi capaz de aplacar a fúria da torcida contra o zagueiro Lucão, vaiado antes dos três minutos de partida. Olha ele aí, marcando o Matias Alonso...

AFP PHOTO / Nelson ALMEIDA

Mas Lucão não foi o vilão do jogo. Não jogou mal. Não cometeu erros. Não foi imprudente tampouco precipitado. Depois dos primeiros cinco minutos, Lucão foi esquecido pela torcida porque o São Paulo jogava bem. Alan Kardec poderia ter aberto o placar antes dos 20 minutos do primeiro tempo em bola alçada na área...

AP Photo/Andre Penner

...Rodrigo Caio também

EFE

Ganso parecia incansável. Corria, armava e concluía. Que fôlego! Que Ganso! Foi fantástico no primeiro tempo. Deu um belo chute aos 27 minutos (boa defesa do goleiro Vaca) e perdeu outra oportunidade aos 30 minutos, de cabeça

NELSON ALMEIDA/AFP

Até Centurion, um dos grandes alvos da torcida...

A essa altura, ninguém mais compreendia o que poderia estar acontecendo com o São Paulo. Nosso blogueiro Juca Kfouri também não gostou do time

O triunfo do The Strongest foi apenas o segundo de um time boliviano na história da Libertadores da América em 46 partidas. Pior do que isso, a equipe de La Paz não sabia o que era vencer um jogo fora de casa na competição sul-americana há 35 anos. E o São Paulo ajudou na quebra dos tabus.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos