Guilherme amplia currículo na Libertadores e derruba Santa Fe pela 3ª vez

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

A torcida do Atlético-MG já conhece. Agora, Guilherme também apresenta suas credenciais de jogador especial de Copa Libertadores ao Corinthians. Ele é um dos únicos do continente a ter feito gols em quatro edições seguidas do torneio. Além disso, é um legítimo carrasco colombiano.

O gol da vitória por 1 a 0 marcado na noite de quarta-feira, na Arena Corinthians, foi o terceiro em três anos de duelos contra o Santa Fe na Copa Libertadores. Guilherme decretou empate por 1 a 1 entre Atlético e o time colombiano, fora de casa, na edição 2014. Já no ano passado, marcou em vitória por 2 a 0 contra o mesmo Santa Fe em Belo Horizonte. O raio caiu pela terceira vez em Itaquera.

Em partida tensa, com poucas oportunidades de gols para as duas equipes, Guilherme foi quem livrou a barra do Corinthians após cruzamento de Rodriguinho. Logo ele, que Tite tenta adaptar a uma função um pouco mais recuada, apareceu de surpresa na pequena área para novamente brilhar quando o tema é Libertadores.

Em 2013, em um dos lances mais emblemáticos da conquista do Atlético, o jogador marcou o gol da classificação na semifinal contra o Newell's Old Boys com um chutaço de fora da área nos instantes finais. Comprado por quase R$ 6 milhões pelo Corinthians há dois meses, mostrou não apenas poder de decisão na quarta-feira, mas também vibração. Inclusive, na hora de celebrar o gol.

"A comemoração foi de acordo com a força da partida. É um jogo difícil, de guerra, que em vários momentos pesa mais a luta e a garra que a qualidade", comentou, levemente resignado por uma pergunta que mencionava erros em algumas tentativas ao longo de 90 minutos. Ele reagiu ao questionamento de forma franca.

"Eu posso continuar errando e acertando passes, mas não me escondo do jogo e fui coroado com o gol. Errar e acertar faz parte. O mesmo jogador que você fala que errou, teve peito e personalidade para fazer o gol e ajudar a equipe a vencer", analisou o maranhense Guilherme.

No fim, sobrou também para o bolso de Tite. O meia-atacante, cada vez mais meia e menos atacante no Corinthians 2016, brincou com o treinador. Tudo porque, há poucos dias, Guilherme foi cobrado pelo chefe sobre a necessidade de treinar cabeceios. Ao anotar exatamente assim contra o Santa Fe, buscou o banco de reservas para um abraço caloroso. "Agora me deve um churrasco", brincou. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos