M. Oliveira diz que sofrimento contra Rosario pode servir de amadurecimento

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

O Palmeiras venceu o Rosario Central por 2 a 0 no Allianz Parque, mas passou um sufoco muito grande no segundo tempo da partida, com direito a uma defesa de Fernando Prass em pênalti cobrado por Marco Ruben.

Pressionado pela série de maus resultados, o técnico Marcelo Oliveira o sofrimento vivido pelo Palmeiras nesta quinta-feira pode servir como forma de amadurecimento do time.

"Foi realmente dois tempos bem diferentes, Primeiro tem um time regular e marcando bem a boa equipe do Rosario. No segundo tivemos alguns ajustes na marcação pelos lados, mas não havia nenhuma orientação para ficar atrás. O time não está completamente maduro. Falamos da importância de ganhar. Recuamos muito e demos espaço. Não acertamos o contra-ataque. Não teria esse sofrimento tão grande. Esse sofrimento pode servir para amadurecer", disse o treinador.

Marcelo ainda acabou expulso pelo árbitro da partida depois do apito final. De acordo com o comandante alviverde, o fato ocorreu depois de ele tentar cumprimentar o treinador do Rosario, Eduardo Coudet.

"Nem eu entendi. Estava dizendo para o quarto árbitro que o Arouca queria entrar. O técnico adversário começou a fazer gestos para mim. No final tentei cumprimentá-lo e ele não aceitou", explicou Marcelo.

O Palmeiras volta a campo no próximo domingo, às 16h, pela oitava rodada do Campeonato Paulista, novamente no Allianz Parque. O adversário será o Capivariano.

O time, que soma quatro pontos em duas partidas da Libertadores, recebe o Nacional-URU na arena na quarta-feira seguinte. O time uruguaio soma dois pontos na competição, assim como o River Plate-URU -- o Rosario Central tem apenas um.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos