Novo xodó, Cazares foge de repórteres por ter medo de errar no português

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

    Cazares tem sempre Erazo por perto, para ajudar na adaptação ao Atlético-MG

    Cazares tem sempre Erazo por perto, para ajudar na adaptação ao Atlético-MG

Anunciado e apresentado pelo Atlético-MG como reforço para a temporada 2016 no dia 4 de janeiro, o meia Juan Cazares estreou pelo clube durante a pré-temporada, no torneio amistoso disputado nos Estados Unidos. Os minutos em campo durante a Flórida Cup deixaram uma boa impressão do meia junto aos torcedores alvinegros.

Mas foi preciso ter muita paciência até que Cazares fosse regularizado e ganhasse condição de jogo. A primeira partida oficial foi logo pela Libertadores, curiosamente diante do Independiente Del Valle, clube que revelou o jogador. Foram somente 55 minutos, o suficiente para Cazares cair nas graças da torcida e fazer o técnico Diego Aguirre ser duramente criticado pela substituição, mesmo sendo Robinho entrando em campo.

A partir de então, o meia equatoriano participou de todos os jogos que o Atlético disputou. Gols ele ainda não marcou. Nem sequer deu assistências, já que o rendimento da primeira partida pela Libertadores não se repetiu nas cinco vezes seguintes que esteve em campo. E Cazares conta com uma ajuda especial para vencer no futebol brasileiro. O zagueiro Erazo é compatriota do meia, companheiro de seleção e está no Brasil há duas temporadas. Tempo mais do que suficiente para aprender muita coisa e ser capaz de ajudar o amigo.

"Quando eu fui para o Flamengo, na primeira vez (no Brasil), foi muito difícil para mim. Eu não consegui me entrosar. Não conhecia ninguém, não sabia a língua. Não conhecia de perto o futebol brasileiro. Então, quando o Cazares veio, eu quis dar uma assistência para ele", contou o defensor, que convive com o amigo não só na Cidade do Galo, mas também nas horas de folga.

Erazo aponta o medo de falar português errado como o grande trauma de Cazares nos primeiros meses de Brasil. E o zagueiro tem razão. O meia evita ao máximo dar entrevistas, ao ponto de driblar também os repórteres. Exemplo foi o ocorrido após o empate com o América-MG, pelo Campeonato Estadual. Já de banho tomado e deixando o estádio, Cazares foi cercado por jornalistas. Alegou que tinha esquecido algo no vestiário e passou por outra saída, tudo para evitar falar português em público.

Algo que acontece também dentro da Cidade do Galo. Erazo revelou que falar até mesmo com os companheiros de clube gera um pouco de receio em Cazares. "Ele está pegando a confiança de falar com outro companheiro. Mas, às vezes, fica com medo de errar. Ele está muito contente. A equipe abraçou ele quando chegou. É um cara brincalhão, que gosta de fazer piada. Isso daí transmite para o jogo. Tomara que ele rapidamente se entrose a equipe", explicou o defensor do Atlético.

Com Dátolo machucado e já vetado para o confronto com o Colo-Colo, mais uma vez Cazares vai ser titular. A expectativa dos torcedores atleticanos, também a de Erazo, é que o meia esteja ainda mais à vontade em campo, para desenvolver todo o potencial que tem apresentado durante os treinos.

"É um jogador com muita qualidade, que pensa muito rápido, além dos demais. Ninguém tem dúvida das qualidades que tem o Cazares", completou o zagueiro Erazo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos