Grêmio 'escapa' graças a Grohe, empata aos 44 e segue vivo na Libertadores

Do UOL, em Porto Alegre

  • REUTERS/Marcos Brindicci

    Marcelo Oliveira disputa bola com Ezequiel Cerutti, do San Lorenzo, na Libertadores

    Marcelo Oliveira disputa bola com Ezequiel Cerutti, do San Lorenzo, na Libertadores

O Grêmio foi imortal, como é seu apelido. No primeiro tempo poderia ter virado o jogo perdendo por ao menos 3 a 0 para o San Lorenzo. Mas escapou graças a Marcelo Grohe. E depois de um segundo tempo muito ruim, Lincoln, de 17 anos, empatou aos 44 minutos e manteve o Tricolor vivo na classificação. Nesta terça-feira (15), o placar de 1 a 1 foi muito comemorado. 

Com cinco pontos, o Grêmio manteve o segundo lugar no grupo 6. O San Lorenzo ficou na lanterna com 3. Agora, dependendo dos dois últimos jogos a classificação pode ser definida em casa. 

Ortigoza foi o destaque do time da casa. Marcelo Grohe, ainda no último minuto de jogo, salvou o Grêmio e junto a Pedro Gromel conseguiu o resultado. 

 
SAN LORENZO 1 X 1 GRÊMIO
 
Data: 15/02/2016 (Terça-feira)
Local: Estádio Nuevo Gasometro, Buenos Aires (ARG)
Árbitro: Andres Cunha
Auxiliares: Miguel Nievas e Carlos Pastorino
Cartões amarelos:  Ortigoza (SLO); Marcelo Oliveira (GRE), Maicon (GRE); 
Gols: Ortigoza, do San Lorenzo, aos 3 minutos do primeiro tempo; Lincoln, do Grêmio, aos 44 minutos do segundo tempo;
 
SAN LORENZO
Torrico; Buffarini, Angeleri, Caruzzo e Más; Ortigoza, Mussis, Beluschi, Cerutti e Blanco (Romagnoli); Cauteruccio (Matos).
Técnico: Pablo Guede
 
GRÊMIO
Marcelo Grohe; Ramiro, Fred, Pedro Geromel e Marcelo Oliveira; Edinho, Maicon, Giuliano (Lincoln) e Douglas (Bobô); Luan (Pedro Rocha) e Everton. 
Técnico: Roger Machado 

FASES DO JOGO

  • Primeiro tempoO Grêmio não conseguiu respirar. O jogo mal havia começado e o San Lorenzo abriu o placar. Marcelo Oliveira cometeu pênalti em Beluschi. Ortigoza bateu e marcou. Entretanto, o time brasileiro era quem mandava nas ações da partida. Pedro Geromel quase empatou após cruzamento da esquerda. Mas oportunidade mais clara que essa se apresentou ao San Lorenzo, aos 20 minutos. Cerutti entrou sozinho e rolou para Cauteruccio que cortou e bateu. Marcelo Grohe fez uma linda defesa evitando o pior. Ambas equipes alternaram momentos de controle e erros de passe. No fim do primeiro tempo, Marcelo Grohe salvou novamente. Um cruzamento da direita acabou em Blanco, que salvou. No lance seguinte, Más acertou a trave e Pedro Geromel salvou o que seria outro gol.
  • Segundo tempoO Grêmio precisava atacar. Ao ver que o time não fazia boa jornada com o que tinha em campo, Roger Machado apostou nos destaques do time reserva. Usou o jovem Lincoln, de 17 anos, e o centroavante Bobô, que tem média de quase um gol por jogo neste ano. Mas as principais chances seguiram sendo do San Lorenzo. Romagnoli chutou para fora aos 25. Os argentinos trataram de tentar manter a posse de bola. O Grêmio criou pouco, mas chegou ao empate. Aos 44 minutos, Lincol aparou rebote e colocou na rede. Com nova defesa de Marcelo Grohe, o resultado foi construído.

Destaques

  • Ramiro na direitaDepois de uma atuação ruim em casa, o técnico Roger Machado optou por sacar Wesley da lateral direita e colocou Ramiro, que é volante e atuou improvisado.
  • Time de alvos brasileirosO San Lorenzo é um time formado por alvos de times brasileiros. Buffarini, Más, Ortigoza, Caruzzo, Blanco e Cerutti foram pretendidos por equipes nacionais. Ninguém preferiu se transferir.
  • Refletor malditoO Grêmio reclamou dos refletores do estádio Nuevo Gasometro. Segundo o técnico Roger Machado, uma lâmpada que atrapalha o goleiro foi acesa e apagada apenas para prejudicar o time visitante. Cada tempo em um lado.

Melhores

  • Marcelo Grohe, GrêmioFez, ao menos, três defesas difíceis quando ficou cara a cara com os atacantes adversários. Evitou, por exemplo, que o primeiro tempo acabasse 3 a 0 para o San Lorenzo.

Piores

  • Marcelo Oliveira, GrêmioCometeu pênalti e errou em uma série de lances, principalmente na defesa.

UOL Cursos Online

Todos os cursos