Regulamento exótico rejuvenesce futebol paraguaio e revela algoz corintiano

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • AFP PHOTO/Norberto Duarte

    Sergio Díaz, 18 anos, foi destaque de Cerro Porteño 3 x 2 Corinthians

    Sergio Díaz, 18 anos, foi destaque de Cerro Porteño 3 x 2 Corinthians

A pior campanha das Eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2014 foi do Paraguai, que optou pela renovação de seus quadros diante do resultado negativo. A consequência disso é o surgimento de uma série de jogadores novos como Sergio Díaz, 18 anos e protagonista da vitória do Cerro Porteño sobre o Corinthians por 3 a 2, há uma semana. Nesta quarta-feira (16), ele vai à Itaquera para tentar repetir a dose e, de quebra, dar razão à Federação Paraguaia de Futebol. 

Em 2014, já fora da Copa do Mundo no Brasil, foi definido que todos os clubes seriam obrigados a escalar um jogador sub-20 como titular em todas as partidas do Campeonato Paraguaio. Além disso, o número de estrangeiros permitidos nas equipes foi reduzido de quatro para três.

Muitos clubes protestaram, sobretudo o gigante local Olimpia, mas o processo foi mantido e aprofundado. Desde a temporada passada, cada time deve escalar um jogador sub-19 e só dois atletas não-paraguaios são aceitos em campo por time. O recado foi claro: era necessário dar espaço a atletas jovens para rejuvenescer a seleção nacional, repleta de veteranos como o goleiro Villar, titular com 38 anos, ou o centroavante Roque Santa Cruz, com 34.

A consequência tem sido aparições como a de Sergio Díaz, elogiado por Tite na véspera do confronto desta quarta. Sua escalação, no lugar do experimentado Marcelo Estigarribia, ex-Juventus-ITA, foi uma surpresa no jogo de ida. 

"É um meia de pé direito aberto pelo lado esquerdo, com qualidade técnica, um contra um muito bom, com capacidade de assistência. Tem uma boa composição na frente. É uma das atenções que devemos ter sem bola", comentou o treinador corintiano.

Díaz não é o único destaque desta safra de jovens paraguaios. Saúl Salcedo (Olimpia), Jesús Medina (Libertad), Jonathan Samaniego (Sol de América), Blas Riveros (Olimpia) e Alexis Rojas (Luqueño) são outros atletas que ganharam espaço graças ao exótico regulamento local.

Curiosamente, o futebol brasileiro experimenta medidas no sentido inverso do que ocorreu no Paraguai. Recentemente, o limite de estrangeiros foi aumentado de três para cinco jogadores. Federações estaduais, como a Paulista, limitaram o número de inscritos para assegurar que as equipes não utilizem atletas jovens em excesso, entre outros motivos. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos