Sem vencer, SP tem pior campanha da história na Libertadores e se complica

Guilherme Palenzuela

Do UOL, em São Paulo

Nunca na história o São Paulo havia ficado sem vencer nos primeiros três jogos na fase de grupos da Copa Libertadores. Em 2016, o time que apenas empatou com o fraco Trujillanos na noite de quarta-feira (16), na Venezuela, realizou a sua pior campanha da história do clube em três jogos na segunda fase: uma derrota e dois empates, apenas dois pontos conquistados e sob risco de eliminação precoce.

Em 17 participações na Libertadores antes da edição atual, entre 1972 e 2015, o São Paulo sempre venceu pelo menos um jogo entre os três primeiros da fase de grupos. Isso aconteceu até nas três edições em que o clube foi eliminado na fase de grupos, em 1978, 1982 e 1987 – naquela época, no entanto, apenas uma equipe se classificava em cada grupo.

Nem mesmo em 2013, ano em que o São Paulo se viu mais perto da queda na fase de grupos, houve um início tão ruim. Na ocasião, o clube paulista chegou com míseros quatro pontos à última rodada e precisou vencer o Atlético-MG no Morumbi para avançar às oitavas. Conseguiu. Apesar da campanha ruim, foi melhor do que a atual nas três primeiras rodadas: perdeu do Atlético-MG fora, e venceu o The Strongest e empatou com o Arsenal de Sarandí (ARG) em casa.

A vitória contra o The Strongest de 2013 é exatamente o que falta ao São Paulo em 2016. O mesmo time boliviano visitou o clube paulista no Pacaembu na primeira rodada e triunfou por 1 a 0. O feito foi tão inesperado que os jogadores e membros da comissão técnica do Strongest comemoraram como se fosse um título. Explica-se: antes disso, clubes bolivianos já tinham jogado contra brasileiros no Brasil em 46 ocasiões pela Libertadores e só tinham conquistado uma vitória – do Bolívar sobre o Atlético-PR, em 2002. O triunfo do Strongest por 1 a 0, quase inédito, compromete a campanha são-paulina. 

Nas próximas rodadas o São Paulo enfrenta, em ordem, o Trujillanos e o River Plate no Morumbi, e o Strongest em La Paz, na Bolívia. Por causa do empate por 1 a 1 na Venezuela na quarta-feira, o clube paulista ficou com dois pontos e poderá chegar à última rodada com no máximo oito pontos – isso se vencer os dois próximos jogos. Tal cenário complica a situação são-paulina de qualquer forma, uma vez que os bolivianos já marcam sete pontos após três rodadas.

Depois do empate, o cálculo do São Paulo é que será necessário vencer os três próximos jogos para chegar às oitavas de final da Libertadores. Dependendo da combinação de resultados, é possível conquistar a vaga com duas vitórias nos próximos jogos no Morumbi e um empate em La Paz. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos